Migrantes e refugiados da Venezuela chegam a 3 milhões

8 novembro 2018

Brasil é o sexto país que acolhe mais venezuelanos, cerca de 85 mil; Colômbia tem mais de 1 milhão; Acnur prepara novo plano de resposta regional à crise.

O número de refugiados e migrantes da Venezuela atingiu 3 milhões. A Organização Internacional para a Migração, OIM, e a Agência de Refugiados da ONU, Acnur, revelaram que o Brasil é o sexto país anfitrião com 85 mil venezuelanos em seu território.

Os países da América Latina e do Caribe abrigam cerca de 2,4 milhões de migrantes e refugiados que fugiram da Venezuela. As outras 600 mil pessoas estão em diferentes regiões do mundo.

Refugiados venezuelanos chegando a Manaus, no Brasil. , by César Nogueira/ Acnur Brasil

Américas

O representante especial do Acnur e OIM para Refugiados e Migrantes da Venezuela, Eduardo Stein, disse que "os países da América Latina e do Caribe mantiveram uma louvável política de portas abertas para os venezuelanos.

Apesar disso, o representante avisou que “a capacidade de recepção é severamente tensa, exigindo uma resposta mais robusta e imediata da comunidade internacional para que esta generosidade e solidariedade continuem."

A Colômbia tem o maior número de refugiados e migrantes da Venezuela, mais de 1 milhão. Segue-se o Peru, com mais de meio milhão, o Equador com mais de 220 mil, a Argentina com 130 mil, e o Chile com mais de 100 mil pessoas.

Além dos países da América do Sul, nações da América Central e do Caribe também registraram a chegada crescente destes refugiados e migrantes. O Panamá, por exemplo, acolhe 94 mil venezuelanos.

Necessidades

Com números crescentes, as necessidades de refugiados, migrantes e das comunidades anfitriãs também aumentaram de forma significativa.

Segundo a ONU, os governos da região lideram a resposta humanitária e coordenam esforços usando o Processo de Quito, que ajuda a ampliar e coordenar a resposta regional. A segunda reunião de Quito dos governos da região acontece nos dias 22 e 23 de novembro.

Resposta

Em setembro, 40 parceiros, incluindo organizações internacionais, sociedade civil e organizações religiosas, uniram-se na Plataforma Regional de Coordenação Interagências.

O objetivo é fortalecer a resposta operacional e desenvolver um programa humanitário. O chamado Plano Regional de Resposta a Refugiados e Migrantes da Venezuela será lançado em dezembro.

As ação será em quatro áreas estratégicas, como assistência direta de emergência, proteção, integração socioeconômica e cultural e capacitação para os governos dos países de acolhimento.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud