OMS ajuda a vacinar 650 trabalhadores da saúde no Uganda contra o ébola

14 novembro 2018

Pela primeira vez, processo decorre em território sem registo de um único caso da doença; leste da República Democrática do Congo regista o 10º surto que já provocou 209 mortos.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou que 659 funcionários que trabalham na linha de frente contra o ébola no Uganda serão vacinados até o fim desta semana.

É a primeira vez que o processo acontece num país que ainda não registou um único caso da doença.

Vacinas são preparadas para uso em Mbandaka, by OMS/Oka

Líderes

A imunização começou na semana passada com 97 profissionais na área de Ntoroko. O processo também envolve voluntários atuando em pontos de entrada na fronteira com a República Democrática do Congo, RD Congo, no distrito de Kasese.  

A OMS disse que a vacinação decorre com pequenos desafios operacionais, mas de forma positiva e com acolhimento de líderes locais e profissionais de saúde.

A agência quer garantir que o Uganda seja capaz de dar uma resposta eficaz a uma possível chegada do ébola do país da vizinha República Democrática do Congo, onde o atual surto provocou 209 mortos e infetou 295 pessoas até terça-feira.

Avaliação

A primeira fase de vacinação acontece em cinco distritos ugandeses de alto risco. O plano é que mais distritos sejam envolvidos após uma avaliação e receção de mais doses de vacina no fim da segunda etapa.

Esta semana foi marcada pela formação de profissionais de saúde em Boas Práticas Clínicas para que possam realizar testes.

Os participantes e formadores incluíram médicos, técnicos de saúde pública, enfermeiros, clínicos, parteiras, agentes de promoção e educação sanitária, além de administradores de logística de várias instituições.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud