Moçambique: PMA ajuda a capacitar funcionários para prevenir desastres

29 agosto 2018

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, vai permitir que 38 integrantes do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades tenham formação no manuseio, mapeamento e processamento de dados espaciais obtidos por Veículos Aéreos Não Tripulados conhecidos por drones.

O governo moçambicano conta com o apoio do Programa Mundial de Alimentação, PMA, na Redução do Risco de Desastres, através do projeto de Fornecimento de Material e Criação de Capacidade Nacional para Uso de Veículos Aéreos Não Tripulados conhecidos por drones.

Um memorando assinado em Maputo, capital do país, prevê que o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades, Ingc, esteja devidamente equipado e preparado para Redução do Risco de Desastres em Moçambique.

Plano

Karin Manente, representante e diretora nacional do PMA em Moçambique disse a jornalistas que o apoio faz parte do Plano Estratégico Nacional de cinco anos e tem a colaboração com Ingc e o Governo.

“O Memorando de Entendimento hoje assinado constitui prova inequívoca desse compromisso. Este acordo visa o desenvolvimento de Capacidade Nacional/Institucional do Ingc, através do fornecimento de material e treinamento de técnicos do Cenoe, Centro Nacional Operativo de Emergência, no uso de Veículos Aéreos Não Tripulados, Vant ou drones e suas aplicações, diante dos desafios impostos pelas alterações climáticas.”

A representante da agência assegura que o uso eficaz da tecnologia vai garantir informações mais fiáveis e precisas para a tomada de decisões em tempo real e, em última instância, salvará vidas.

Manuseio

“Este acordo inclui a assistência técnica e financeira ao Cenoe, nomeadamente: na formação técnica de cerca de 38 quadros do Ingc de todos os níveis e pontos focais Setoriais no manuseio, levantamento de dados, na análise e processamento de dados espaciais de imagens dos drones e seus aplicativos; no fornecimento de material; no mapeamento de áreas de riscos a desastres naturais em oito distritos da bacia do rio Licungo usando drones como suporte. ”

Karin Manente disse ainda que o acordo assinado com o Ingc faz parte dos princípios das Nações Unidas de “Não Deixar Ninguém para Trás”, razão pela qual, o PMA pretende continuar a apoiar o Ingc em Moçambique a fazer diferença: salvando vidas.

O apoio global do PMA Moçambique ao Ingc inclui nove drones inseridos no valor global orçado em 10 milhões de meticais.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud