Mês de julho foi marcado por queda no índice de preço dos alimentos
BR

2 agosto 2018

Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, diz que derivados do leite e açúcar puxaram a redução; greve de caminhoneiros também foi citada na avaliação mensal.

A maior parte dos alimentos fico mais barata para o consumidor, de acordo com o Índice do Preço dos Alimentos, apresentado pela FAO.

Todos os meses, a agência da ONU divulga o Índice, que atingiu a média geral de 168,8 pontos em maio, uma descida de 3,7% em relação a junho, a maior desde o ano passado.

O Índice do Preço dos Alimentos da FAO registrou uma queda de 3,7% em relação a junho, a maior desde o ano passado, by FAO/Alessia Pierdomenico

Queda

A queda foi puxada pelos derivados do leite e pelo açúcar. A redução no preço da manteiga e do queijo foi maior que para outros produtos como leite em pó integral e desnatado.

A redução ocorreu também para cereais, oleaginosas e carnes.

Já o açúcar, baixou 6% atingindo uma queda de quase três anos com a melhora da produção na Índia e na Tailândia. A expectativa de estoques menores no Brasil, o maior produtor global de açúcar, limitou a queda dos preços internacionais.

Greve de caminhoneiros

Também baixaram as cotações para o milho, o trigo e o arroz. A queda em julho para as oleaginosas foi gerada pelo mercado de soja afetado pela disputa comercial entre China e Estados Unidos.

Um outro movimento inesperado foi a greve de caminhoneiros no Brasil, que revisou para cima o preço das exportações de carne por causa da paralisação.

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Altos preços afectam África

Alerta foi feito por relatório regional do Fundo Monetário Internacional, FMI; crise económica pode levar a aumento da pobreza.