ONU condena ataques que mataram cerca de 30 pessoas no Iémen

4 setembro 2015

Secretário-geral apela que os autores sejam rapidamente levados à justiça; aproximadamente 100 pessoas ficaram feridas durante a ação que ocorreu numa mesquita a norte de Sanaa. 

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU condenou "nos termos mais fortes possíveis" os ataques terroristas suicidas contra uma mesquita no distrito de Jarraf, no norte da capital iemenita Sanaa.

Esta sexta-feira, Ban Ki-moon considerou tais atos "injustificáveis sob quaisquer circunstâncias" em locais de culto. Mais de 30 pessoas morreram e quase 100 ficaram feridas no incidente ocorrido na noite de quarta-feira.

Justiça

Em nota, emitida pelo seu porta-voz, Ban manifesta condolências e solidariedade às famílias das vítimas. O chefe da ONU disse esperar que os autores desses "atos repreensíveis" sejam rapidamente levados à justiça.

Entretanto, a organização concedeu US$ 15 milhões do Fundo Central de Resposta de Emergência, Cerf,  para apoiar a entrega de assistência essencial a milhões de afetados pela crise humanitária. 

Assistência

O subsecretário-geral para os Assuntos Humanitários, Stephen O'Brien, disse que o valor faz subir para US$ 44 milhões o valor aplicado nas operações no país em 2015.

O'Brien considerou “chocante” o facto de quatro em cada cinco iemenitas estarem a precisar de assistência humanitária e quase 1,5 milhão de pessoas serem deslocados internos.

Esta sexta-feira, o Programa Mundial de Alimentação, PMA, confirmou a chegada de um carregamento de trigo para alimentar até 1 milhão de pessoas durante dois meses.

Leia Mais:

Iêmen: ONU pede acesso livre para ajuda humanitária

Conflitos deixam 13 milhões de crianças fora da escola

Ocha precisa de mais dinheiro para operações humanitárias

Número de mortos no conflito iemenita já ultrapassa 2,1 mil

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud