Ajuda precisa chegar às vítimas na Geórgia BR

Ajuda precisa chegar às vítimas na Geórgia

Nações Unidas pedem acesso irrestrito à passagem de assistência humanitária; Acnur distribuiu donativos a cerca de 2 mil deslocados.

Mônica Villela Grayley, Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas reforçaram um pedido de acesso livre e irrestrito à passagem de ajuda humanitária para as vítimas do conflito na Geórgia.

Na quinta-feira, o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, emitiu uma nota dizendo que estava extremamente preocupado com o impacto da violência sobre os civis.

Leia o boletim de Eduardo Costa.

Civis

“O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, informou que o número de deslocados internos pelos combates, que começaram na semana passada, está chegando a 115 mil. Os números foram divulgados pelos governos da Geórgia e da Rússia.

Nesta sexta-feira, funcionários do Acnur começaram a distribuir ajuda humanitária aos deslocados na capital Tbilisi. A remessa atual de cobertores, utensílios de cozinha e barracas deve atender 40 mil pessoas.

O chefe da agência, António Guterres, embarcará, na terça-feira, para a região, para ver de perto as operações de assistências às vítimas do conflito.

Ele se reunirá com autoridades russas e georgianas para pedir a passagem segura de ajuda além da proteção dos civis.

O governo georgiano diz que o conflito já matou pelo menos 2 mil pessoas e deixou milhares feridas.

Fronteira

Segundo autoridades da Ossétia do Norte, localizada na Rússia, 300 mil pessoas já teriam atravessado a fronteira para fugir dos combates na Ossétia do Sul”.

Nesta sexta-feira, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirmou preocupação com a possibilidade de que o conflito entre pelo inverno no país. A agência informou que muitos deslocados estão sendo abrigados em escolas e em condições arriscadas de higiene.