Comida desperdiçada, todos os anos, poderia alimentar 1,26 bilhão de pessoas BR

FAO destaca que fagilidade dos sistemas agroalimentares deve ser abordada ao lado da necessidade urgente de transformá-los
Foto: © FAO/Sumy Sadurni
FAO destaca que fagilidade dos sistemas agroalimentares deve ser abordada ao lado da necessidade urgente de transformá-los

Comida desperdiçada, todos os anos, poderia alimentar 1,26 bilhão de pessoas

Ajuda humanitária

FAO pede ações ousadas, desenvolvidas e colaborativas por acesso diário a alimentos nutritivos; debates para alcançar Fome Zero dominarão 28ª Sessão da Comissão de Agricultura, aberta em Roma.

A falta de alimentos exige mudanças transformadoras na maneira como se produz, distribui e consome a comida. 

A declaração é do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, FAO, que defende um foco da ação “no sentido de garantir um uso mais eficiente dos produtos e insumos produzindo mais com menos recursos.”

Alimentos nutritivos

Qu Dongyu disse, na abertura da 28ª Sessão da Comissão de Agricultura em Roma, que o mundo tem que diminuir, de forma significativa a atual perda e desperdício de alimentos. A quantidade daria para alimentar cerca de 1,26 bilhão de pessoas por ano.

FAO alerta para perda de terreno e retrocesso nos esforços para eliminar a fome e a desnutrição
Foto: Unsplash/Sanjog Timsina
FAO alerta para perda de terreno e retrocesso nos esforços para eliminar a fome e a desnutrição

 

A escassez de alimentos ocorre devido a fatores como pandemia, crise climática, guerra na Ucrânia e outros conflitos e crises humanitárias.  O chefe da FAO destaca que é preciso adotar ações ousadas, incrementadas e colaborativas pelo acesso diário a alimentos nutritivos suficientes em todos os lugares.

Qu lembrou que o mundo “perdeu terreno e está retrocedendo” nos esforços para eliminar a fome e a desnutrição, além de garantir a segurança alimentar para todos.

Ele disse que continua o comprometimento da agência para se alcançar o ODS 2, que prevê alvos em favor da Fome Zero até 2030. Mas ressaltou que o problema “continua a aumentar, refletindo as crescentes desigualdades entre e dentro dos países”.

Dieta saudável 

A FAO estima que 828 milhões de pessoas foram afetadas pela fome no ano passado, num aumento de 46 milhões em relação a 2020. 

Grupo de mulheres na Tanzânia recebe treinamento da FAO sobre evitar desperdício alimentar
FOTO: FAO Tanzânia
Grupo de mulheres na Tanzânia recebe treinamento da FAO sobre evitar desperdício alimentar

A alta foi de 150 milhões quando comparado a 2019, no período antes da pandemia. Em 2020, mais de 3 bilhões de pessoas em todo o mundo não podiam custear uma dieta alimentar saudável.

Para o chefe da agência da ONU, a fragilidade dos sistemas agroalimentares deve ser abordada ao lado da necessidade urgente de transformá-los para colocá-los de volta ao caminho sustentável.

Ele declarou aos participantes que as discussões relacionadas à agricultura, pecuária, segurança alimentar, nutrição, incluindo sobre o desenvolvimento rural e a gestão de recursos naturais, serão fundamentais para os esforços com vista a transitar das estratégias para ação.