Crise põe metade das crianças no Líbano sob risco de violência física e emocional BR

Pelo menos 1 milhão de crianças no Líbano estão sob perigo de violência física e mental à medida que a crise do país se intensifica
UNDP Lebanon
Pelo menos 1 milhão de crianças no Líbano estão sob perigo de violência física e mental à medida que a crise do país se intensifica

Crise põe metade das crianças no Líbano sob risco de violência física e emocional

Ajuda humanitária

Alerta do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e do Escritório da representante especial do secretário-geral sobre violência a crianças sugere que mais de 80% dos menores estão na pobreza multidimensional; chefe da ONU, António Guterres, está no país árabe para visita de solidariedade.

Pelo menos 1 milhão de crianças no Líbano estão sob perigo de violência física e mental à medida que a crise do país se intensifica. Esta é a conclusão de um relatório do Unicef e da representante especial do líder das Nações Unidas para o tema da Violência a Crianças.

Najat Maalla M’jid foi ao Líbano para ver de perto a situação dos menores vítimas de violência emocional e até sexual e como as famílias libanesas estão respondendo à situação de pobreza.

Somente de outubro de 2020 a outubro de 2021, o Unicef catalogou um aumento de 44% em casos de abusos e exploração de menores no Líbano
Unicef/Fouad Choufany
Somente de outubro de 2020 a outubro de 2021, o Unicef catalogou um aumento de 44% em casos de abusos e exploração de menores no Líbano

Trabalho e casamento infantis

O relatório do Unicef “Começos violentos: crianças crescendo num Líbano em crise” relata que quase 1,8 milhão de menores no Líbano, ou mais de 80% das crianças, estão agora em pobreza multidimensional. 

Em 2019, este número era a metade. Outros riscos são trabalho infantil, casamento infantil e outras consequências para que não tem mais dinheiro para sobreviver. O especialista em comunicação do Escritório da Representante Especial, Miguel Caldeira, falou à ONU News sobre o que pode ser feito para socorrer as crianças.

Um jovem libanês observa a área das explosões do Porto de Beirute
Unicef//UN0496106/Ibarra Sanch
Um jovem libanês observa a área das explosões do Porto de Beirute

Forte apelo

“O forte apelo que a representante especial faz, nesse momento, é para que o governo e as autoridades libanesas olhem para as crianças e que invistam nas crianças, pois é fundamental que se invista nesta proteção e para que se veja que a sociedade se tornar uma sociedade mais resiliente. Sem proteger essas crianças é, infelizmente, impossível garantir uma sociedade próspera.”

Miguel Caldeira lembra que as crianças no Líbano são o presente e o futuro do país.

Representante especial do secretário-geral para a Violência a Crianças, Najat Maalla M'jid
Foto: ONU/Jean-Marc Ferré
Representante especial do secretário-geral para a Violência a Crianças, Najat Maalla M'jid

Porto de Beirute

Antes da pandemia da Covid-19, o Líbano já atravessava uma crise político-econômica. Em agosto do ano passado, uma explosão no Porto de Beirute agravou a situação dos libaneses e com o aumento de casos do novo coronavírus, o desespero das crianças tornou-se mais intenso.

A representante especial sobre Violência a Crianças, Najat Maalla M’jid disse que a crise libanesa ameaça o presente e futuro de milhões de menores no país.  Somente de outubro de 2020 a outubro de 2021, o Unicef catalogou um aumento de 44% em casos de abusos e exploração de menores no Líbano passando a 5.621 notificações.

Desenhos de uma criança um ano após a explosão de Beirute
Unicef/UN0497038
Desenhos de uma criança um ano após a explosão de Beirute

Crianças de seis anos em fazendas

O trabalho infantil também aumentou em 53%, segundo a pesquisa. Crianças de até seis anos estão trabalhando em fazendas para ajudar a família ou vendendo combustível na rua e correndo risco de mortes e de acidentes como queimaduras.

A crise do Líbano também causou aumento de casamentos de meninas e de problemas de saúde mental em adolescentes e jovens. Um grande número de crianças começou a ter problemas com a justiça penal e a ser recrutada por criminosos para sobreviver.

Esta semana, o secretário-geral da ONU, António Guterres, está no Líbano para uma viagem de solidariedade ao país. Ele se reúne com o presidente e outras autoridades para discutir uma resposta eficiente e de apoio da comunidade internacional aos vários desafios da nação árabe nesses últimos anos.