Presidente João Lourenço lidera a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos

Na ONU, presidente de Angola fala sobre atuação em favor da paz nos Grandes Lagos  BR

Foto ONU/Cia Pak
Presidente João Lourenço lidera a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos

Na ONU, presidente de Angola fala sobre atuação em favor da paz nos Grandes Lagos 

Paz e segurança

Líder angolano falará ao Conselho de Segurança na qualidade de presidente da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos; entidade regional promove maior auxílio internacional em apoio aos centro-africanos. 

O Conselho de Segurança realiza esta quarta-feira uma sessão que debate a Missão da ONU na República Centro-Africana e o relatório mais recente do secretário-geral, António Guterres, sobre o país. 

No evento discursa o chefe de Estado de Angola, João Lourenço, que preside a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos. Os dois líderes mantiveram um encontro a anteceder a discussão do Conselho. Além de abordar os recentes desenvolvimentos regionais, a reunião focou o reforço da cooperação entre a ONU e Angola.  

Assistência e Proteção  

A entidade regional africana defende mais esforços da comunidade internacional em favor de ações já iniciadas pelos centro-africanos para revitalizar o Acordo Político. 

ONU News
Presidente da ONU é recebido na ONU

 

A posição vem numa declaração de 20 de abril em que o órgão incentiva esforços regionais para estabilizar a nação africana, onde a violência persistente já causou cerca de 729 mil deslocados internos e levou mais 695 mil a pedir  abrigo além-fronteiras. 

Com a atual crise humanitária existem 2,8 milhões de pessoas precisando de ajuda humanitária e proteção. Este mês, um relatório da ONU chamou a atenção para  “o sistema de saúde que mal funciona no país” agravado pela pandemia.  

A República Centro-Africana está sob um embargo de armas desde 2013. Recentemente houve um “aumento inaceitável e sem precedentes de ameaças e incidentes hostis pela força de segurança nacional e por outro pessoal de segurança contra a Minusca.” 

Assuntos Políticos  

De acordo com o mais recente relatório do secretário-geral, desde fevereiro de 2021, houve 22 violações de acordo sobre forças de paz em comparação com duas ocorridas no período anterior. 

Na sessão desta quarta-feira também discursarão o representante especial e chefe da Minusca, Mankeur Ndiaye, o comissário da União Africana para os Assuntos Políticos , Paz e Segurança, Bankole Adeoye. 

O Conselho decretou um embargo de armas à República Centro-Africana que vigora desde 2013
ONU/Eskinder Debebe
O Conselho decretou um embargo de armas à República Centro-Africana que vigora desde 2013

Este mês, o subsecretário-geral da ONU para Operações de Paz, Jean-Pierre Lacroix,  visitou o país com a chefe do Serviço Europeu para a Ação Externa para a África, Rita Laranjinha, e um representante da Comunidade Econômica dos Estados da África Central. Espera-se que também participem na reunião. 

Poder  

Jean-Pierre Lacroix mencionou “mensagens de ódio, desinformação e manifestações hostis”. que às vezes são veiculadas e organizadas por pessoas associadas com o poder. 

Em 30 de maio, uma delegação liderada pelo vice-chefe da Minusca foi impedida de ter acesso a uma área perto da fronteira centro-africana com o Chade e os Camarões.