OMS emite mensagem um ano após notificação do novo coronavirus na China  
BR

31 dezembro 2020

Diretor-geral da agência, Tedros Ghebreyesus, lembrou vítimas da doença e ressaltou importância vital da vacina para que mundo possa vencer a pandemia;  OMS precisa de US$ 4 bilhões com urgência para comprar doses para países de rendas baixa e média. 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, divulgou uma mensagem para marcar o primeiro ano após a notificação pela China do surto de Covid-19 na cidade de Wuhan, em 31 de dezembro. 

O diretor-geral da agência, Tedros Ghebreyesus lembrou que enquanto o mundo celebrava a véspera de Ano Novo, uma nova ameaça global aparecia para mudar radicalmente a rotina das pessoas, causar interrupções e consequências socioeconômicas nos quatro cantos do globo para famílias, sociedades e economias. 

Testes de covid-19 em hospital de Istanbul, Turquia, Pnud Turquia/Levent Kulu

Vidas perdidas 

O chefe da OMS prestou um tributo às muitas vidas perdidas para a doença e os atos generosos, que ajudaram a equipar hospitais e apoiar agentes de saúde e pacientes.  A agência da ONU lançou um apelo aos doadores para fazer com que a imunização chegue a mais países. 

Na mensagem, Tedros afirmou que o mecanismo de vacinação da OMS, Covax, precisa com urgência de US$ 4 bilhões para comprar as doses para nações de rendas baixa e média. Para ele, este é o desafio que todos devem enfrentar no próximo ano.  

O chefe da OMS disse que a Covid-19 provou que mundo é mais interdependente do que se imaginava. 

Emergência global  

Segundo Tedros, a pandemia provocou a resposta mais rápida e mais abrangente de uma emergência global de saúde de toda a história.  

Ele citou a mobilização sem paralelos da ciência e a busca de uma solução marcada pela solidariedade global. 

Mas o diretor-geral também citou as notícias falsas e maliciosas sobre a pandemia, informações erradas sobre o vírus e as vacinas que causaram tantos danos evitáveis. 

Iniciativa apoiada pela ONU de prevenção contra Covid-19, Uniogbis

Ao falar das lições da pandemia, ele afirmou que a primeira é a urgência de os governos aumentarem os gastos com o sistema público de saúde desde o financiamento e acesso às vacinas para todos até a preparação para uma próxima e inevitável pandemia. 

Escolha simples 

Em segundo lugar, Tedros acredita que deverá levar bastante tempo até que todos estejam imunizados contra a Covid, e por isso todos precisam continuar praticando as medidas de segurança contra o vírus como distanciamento social, uso de máscaras, lavagem de mãos e distância de lugares fechados e lotados. 

Para o diretor-geral, a melhor forma de se reunir com as pessoas é do lado de fora em espaços abertos. 

Por último, ele defende cooperação e solidariedade como uma comunidade global para promover e proteger a saúde hoje e no futuro. 

O chefe da OMS afirma que a escolha a fazer em 2021 é simples e profunda: 

É preciso ignorar partidarismos, teorias da conspiração e ataques à ciência para combater a crise com compaixão e cuidado compartilhando a vacina com todos, como numa grande família global. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

OMS fomenta estudos para entender variantes do novo coronavírus pelo mundo 

Análises no Reino Unido e na África do Sul devem ajudar a decidir novas medidas; agência celebra conquista científica incrível com “vacina segura e eficaz”; OMS diz que não descansará enquanto acesso não chegar a quem precisa em todos os lugares.