18 novembro 2020

Segundo Organização Pan-Americana da Saúde, Opas, 23 milhões de pessoas foram notificadas com o coronavírus, que matou mais de 680 mil na região; esperança de uma vacina contra a doença anima vice-diretor da entidade, o brasileiro Jarbas Barbosa. 

Um número recorde de hospitalizações causadas pela Covid-19 nas Américas está preocupando a Organização Pan-Americana da Saúde, Opas. 

Nesta quarta-feira, o vice-diretor da agência, Jarbas Barbosa, falou a jornalistas de Washington e disse que com as unidades de saúde sobrecarregadas, o setor terá dificuldades de tratar aqueles doentes mais graves. 

Balanço 

Barbosa lembrou que 23 milhões de pessoas já foram infectadas nas Américas e mais de 680 mil perderam a vida.  

Somente na semana passada, foram notificados mais de 1 milhão de novos casos nos Estados Unidos, o país mais afetado na região seguido do Brasil. 

PMA/Carlos Alonzo
Populações nativas estão entre as que têm maior probabilidade de contrair o coronavírus nas Américas.

 

A Opas contou que o Canadá está vendo um ressurgimento de infecções e o México já ultrapassou 1 milhão de novos casos. 

Uma das maiores preocupações da Organização Pan-Americana da Saúde é com a América Central por causa da passagem dos furacões Eta e Iota que atrapalharam a resposta à pandemia. 

Desafios 

Já em partes da América Latina, como os países andinos e a Argentina, a Covid-19 mostra uma tendência de redução, que já dura três semanas.  

Uruguai indicou aumento em alguns pontos do país. No Brasil, houve uma alta de novos casos e de mortes em alguns estados. 

Para Jarbas Barbosa, a boa notícia é a iminência de autorização para a vacina contra a doença, após relatos de que algumas candidatas à imunização alcançaram mais de 94% de eficiência nos testes realizados. 

O médico diz que os resultados são “encorajadores”. Muitos fabricantes começaram a produzir unidades antes de receberem a aprovação, mas o especialista disse que apenas uma vacina segura e eficaz será endossada pela OMS e disponibilizada através da iniciativa Covax. 

Doses 

A Opas lembra para a América Latina e o Caribe vacinarem 20% da população, será necessário gastar US$ 2 bilhões.  Um investimento “necessário e inteligente”, segundo o vice-diretor da agência. 

Barbosa contou que a Opas está atuando com os países-membros e coma União Europeia, além de outros doadores, para assegurar a vacinação em países de baixa renda. 

BioNTech
A vacina contra Covid-19 da Pfizer-BioNTech foi a primeira vacina autorizada para uso em alguns países

Até o final de 2021, a Covax pretende distribuir pelo menos 2 bilhões de doses de vacinas em todo o mundo, de forma rápida e equitativa, mas as doses não serão suficientes para todos.  

Segundo o especialista, “o principal objetivo da primeira fase da vacinação é salvar vidas.” 

Transporte 

Por isso, será dada prioridade a funcionários de saúde e outros trabalhadores da linha de frente, bem como aqueles em risco de desenvolver formas graves da doença. 

A Opas está auxiliando os governos para revisarem seus programas de imunização. Algumas das vacinas podem precisar de novas maneiras de armazenamento, transporte e distribuição. 

Jarbas Barbosa lembrou que ainda faltem alguns meses para a vacinação começar e que não se deve baixar a guarda mantendo medidas de prevenção. 

Um outro aviso é contra “rumores e teorias de conspiração que se espalham por toda a região” tentando interromper uma futura imunização e impedir a resposta à crise.  

Unicef Nepal
Covax pretende distribuir pelo menos 2 bilhões de doses de vacinas em todo o mundo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud