6 outubro 2020

Secretário-geral cita relatos sobre áreas povoadas visadas por ataques; nota realça obrigação das partes em conflito de proteger as populações e a infraestrutura civil; Guterres quer que exerçam influência para acabar com urgência com os confrontos. 

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, condenou “a escalada contínua da violência” em Nagorno-Karabakh apesar dos repetidos apelos da comunidade internacional para o fim imediato dos combates na área dos Balcãs. 

Em nota emitida pelo seu porta-voz, o chefe da ONU expressa “grande preocupação” com os relatos sobre o alastramento dos combates, incluindo atos  direcionados a áreas povoadas.  

Mortos 

Agências de notícias informaram que pelo menos 220 pessoas já perderam a vida nos confrontos iniciados há uma semana. A atual onda de combates é considerada a pior desde o cessar-fogo entre a Armênia e o Azerbaijão em 1994. Oficialmente parte do Azerbaijão, Nagorno-Karabakh é administrada por armênios étnicos.  

Guterres lembra a todos os lados de suas obrigações de proteger as populações e a infraestrutura civil, de acordo com o Direito Internacional Humanitário.  

Influência  

O secretário-geral reitera ainda que “não há solução militar para o conflito” e insta as partes a cessarem imediatamente todas as hostilidades.  

Outro apelo foi dirigido a todos os atores regionais e internacionais relevantes para que “exerçam influência para acabar com os confrontos com urgência”. 

António Guterres pede ainda que as partes envolvidas retornem às negociações mediadas pelos copresidentes do Grupo de Minsk da Organização de Segurança e Cooperação da Europa, Osce. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud