ONU abriga evento em apoio ao Líbano após explosão no Porto de Beirute 
BR

23 setembro 2020

Secretário-geral lembrou que antes do incidente, país já vivia crise financeira e socioeconômica prolongada com taxas jamais vistas de desemprego e pobreza além da Covid-19; desafios que foram agravados com a explosão de 4 de agosto na capital libanesa; França organiza evento com doadores em outubro.

As Nações Unidas realizaram um encontro de alto nível para apoiar o Líbano, às margens da sessão da Assembleia Geral. No mês passado, uma explosão no Porto de Beirute agravou uma crise econômica e social enfrentada há vários meses pelos libaneses. 

O secretário-geral, António Guterres, lembrou que quase um ano após os protestos de rua por mudanças, havia ainda poucos sinais concretos da implementação de reformas. Para ele, a explosão, que matou pelo menos 200 pessoas e deixou milhares de feridos, foi um “abrir de olhos”. Guterres acredita que o Líbano precisa de um reforço na assistência internacional ao país. 

Carregamento de ajuda alimentar do PMA sendo descarregado no Porto de Beirute, by PMA/Malak Jaafar

Novo gabinete 

O secretário-geral elogiou a indicação do primeiro-ministro Mustapha Adib e pediu a formação rápida de um novo gabinete que atenda às aspirações e necessidades do povo. O chefe da ONU afirma que sem este passo, não será possível se recuperar e se reerguer, o que pode levar a mais dificuldades para os libaneses. 

Ele acredita que as reformas sociais e de previdência são necessárias para garantir o bem-estar principalmente dos mais vulneráveis. 

Guterres elogiou a participação de mulheres ativistas, de organizações da sociedade civil e de movimentos sociais na busca pela resposta aos anseios da população.  Ele citou as ações da ONU no processo de recuperação e reconstrução desde a explosão no Porto de Beirute. 

Líbano abriga quase 1 milhão de refugiados sírios além da tradicional comunidade de refugiados palestinos 

Coordenação 

O secretário-geral disse que a coordenação com a equipe da ONU no país, governos, doadores e agentes humanitários é essencial para o sucesso da missão. Ele citou ainda o papel das Forças Armadas Libanesas na distribuição da ajuda. 

Guterres lembrou que o Líbano abriga quase 1 milhão de refugiados sírios além da tradicional comunidade de refugiados palestinos que vive no país. 

O chefe da ONU saudou a decisão da França de abrigar uma conferência de doadores para o Líbano, em outubro. 

Unicef/Ramzi Haidar
Voluntários ajudam na limpeza após a explosão na área de Gemmayze, em Beirute, Líbano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Relator diz que Líbano precisa de apoio para evitar uma crise de fome 

Em comunicado, o especialista em direitos à alimentação, Michael Fakhri, afirmou que a explosão de 4 de agosto no Porto de Beirute destruiu a principal fonte para entrada de alimentos, uma vez que os libaneses importam 85% dos produtos alimentícios que consomem.