ONU quer investigação confiável e transparente sobre causa da explosão no Líbano
BR

10 agosto 2020

Secretário-geral aponta que muitas pessoas continuam desaparecidas quase uma semana após o incidente; informe sobre a situação no Líbano aponta “profunda sensação de perda e até descrença” entre os libaneses.

O secretário-geral da ONU disse esta segunda-feira que é importante uma investigação confiável e transparente sobre a causa da explosão em Beirute. Em informe sobre a situação no Líbano, António Guterres realçou que o resultado desse processo deverá ser a “responsabilização exigida pelo povo libanês”.

Grandes áreas de Beirute ficaram destruídas como resultado da explosão no porto da cidade., by Unifil

O chefe da ONU lembrou aos Estados-membros que quase uma semana depois da tragédia “muitas pessoas continuam desaparecidas.” Guterres realçou que a “explosão foi realmente chocante”. Agências de notícias informaram que pelo menos 158 pessoas morreram e 6 mil ficaram feridas no incidente.

Reformas

Guterres destacou que também é importante que sejam implementadas reformas no país para atender as necessidades do povo libanês a longo prazo.

Neste domingo, as Nações Unidas organizaram a Conferência Internacional de Apoio a Beirute e ao Povo Libanês em parceria com o presidente Emmanuel Macron, da França.

Guterres disse que a iniciativa gerou o apoio financeiro bastante necessário e reafirmou o compromisso de muitos parceiros do Líbano. Entre eles estiveram “líderes mundiais, organizações humanitárias internacionais e instituições financeiras multilaterais e regionais importantes”.

Auxílio

O secretário-geral afirmou que a ONU está avaliando os resultados e está empenhada em fazer um acompanhamento rápido e eficaz da situação. De acordo com agências de notícias, o evento internacional arrecadou cerca de US$ 298 milhões para prestar auxílio direto às vítimas.

Os organizadores pretendem que os fundos prometidos na conferência ajudem na recuperação sendo aplicados em áreas como saúde, segurança alimentar, educação e habitação.

Porto de Beirute depois das explosões, by Houssam Yaacoub

Entre os doadores que anunciaram seu apoio ao Líbano estão a Comissão Europeia com US$ 74 milhões, a França com 59 milhões, o Catar com US$ 50 milhões e o Kuwait com US$ 41 milhões.

A Dinamarca prometeu ajudar com US$ 26 milhões; a Alemanha com US$ 20 milhões, o Chipre com US$ 5 milhões e o Canadá com US$ 5 milhões. Entre as nações que já tinham feito promessas estão os Estados Unidos, com US$ 17 milhões.

Catástrofe

A expectativa é que a ONU encaminhe os valores a organizações internacionais e ONGs que atuam no terreno.

No discurso feito na sede da organização, o secretário-geral destacou que a catástrofe é enorme e disse haver profunda “sensação de perda e até descrença”.

Entre as várias ações humanitárias, as Nações Unidas enviaram um avião com 20 toneladas de suprimentos de saúde a Beirute. O alvo é realizar mil intervenções de trauma e cirurgias a pessoas que sofreram ferimentos e queimaduras.

A organização entregou cerca de US$ 15 milhões do Fundo Humanitário ao Líbano para atender às necessidades imediatas. O primeiro lote foi colocado ao dispor das autoridades logo após a explosão e o último na sexta-feira.

Houssam Yaacoub
Danos nas ruas de Beirute depois da explosão de terça-feira

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud