Unicef apoia volta às aulas em sete países que reabriram escolas após Covid-19
BR

27 julho 2020

Nos períodos mais altos da contaminação, cerca de 91% dos alunos em todo o mundo ficaram fora da escola em mais de 194 nações; fechamento de colégios causou interrupções imensuráveis às crianças e ao bem-estar de estudantes em todo o mundo.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância está atuando com governos e escolas para ajudar no retorno às aulas na reabertura de colégios pelo mundo. Para a agência da ONU, as escolas não devem somente reabrir, mas reabrir de uma melhor maneira para os alunos especialmente aqueles mais marginalizados.

Medidas como lavagem de mãos, distanciamento físico, utilização da máscara e controle da temperatura devem ajudar na prevenção à Covid-19 e a manter crianças e jovens seguros.

Veja como está sendo a volta às aulas em sete países.

Butão

Aulas na Escola Central Samtengang em Wangdue. O local deu as boas-vindas a seus 134 estudantes em 1 de julho, quando o colégio reabriu para as turmas do nono e décimo-primeiro anos. 
O Unicef está atuando com o Ministério da Educação para emitir diretrizes de segurança no retorno ao colégio além de uma lista de requisitos para que a reabertura ocorra com segurança.

China

As crianças têm a temperatura do corpo controlada e utilizam álcool em gel antes de entrar no Jardim da Infância, que reabriu em 1 de junho, em Chongqing, na China.

Para manter os alunos seguros e saudáveis, funcionários e professores implementaram uma série de medidas incluindo o monitoramento para os sintomas da Covid-19 recomendando práticas de higiene e desinfetando as salas de aula e os dormitórios. O retorno ocorre com base nas medidas de prevenção e controle em várias províncias e classes escolares. 

O Unicef apoiou a campanha Retorno Seguro à Escola  Safe School Return campaign que inclui estudantes, professores e pais com dicas práticas enviadas a colégios de todo o país. 

© Unicef/Frank Dejongh
As crianças na Costa do Marfim usam máscaras no retorno à escola após o fechamento temporário.

Cote d’Ivoire ou Costa do Marfim

Na Escola Primária São Pedro, no sudoeste da nação africana, as crianças retornaram após várias semanas de suspensão das atividades letivas. Em 18 de maio, a volta ocorreu com uma série de precauções como utilização da máscara, lavagem regular das mãos e o distanciamento físico.

O Ministro da Educação anunciou uma pausa entre junho e setembro. O Unicef está apoiando as autoridades com o desenvolvimento de diretrizes práticas e aconselhamento para famílias, autoridades e estudantes.

Egito

O Ministério da Educação do Egito e o Unicef estão cooperando com uma guia sobre abertura de escolas no país. Ali, a agência da ONU apoia ações de limpeza e esterilização em 360 escolas nas províncias de Minia e Fayoum para proteger 338.259 crianças. O Unicef está ajudando a desinfetar 567 escolas antes do período de provas finais da 12ª. série.

Laos

Em 18 de maio, o Liceu Vientiane, uma escola pública na capital de Laos, recebeu de volta mais de 900 alunos. Ali, as aulas ficaram suspensas na escola por dois meses. Em mais de um mês, não houve nenhum caso da Covid-19. Com isso, o Ministério da Educação declarou que era seguro realizar o retorno dos estudantes.

O Unicef apoiou o Ministério com o plano de resposta à pandemia e participou da campanha de retorno dirigida a pais, professores e estudantes. Como parte da iniciativa, foram distribuídos pôsteres a todos os colégios no país, assim como mensagens em plataformas digitais e mídias tradicionais.

© Unicef/Ahmed Mostafa
Uma sala de aula é desinfetada em Minia, no Egito.

Vietnã

Num outro país do sudeste asiático, os alunos voltaram às aulas na Escola de Lao Cai, em 11 de maio. Estas medidas estão sendo chamadas “novos hábitos” para tornar as escolas mais seguras durante a pandemia da Covid-19. Após a longa passa do festival do Ano Novo Lunar no fim de janeiro, mais de 22 milhões de alunos vietnamitas voltaram para o colégio.

Para as escolas reabrirem, eles tiveram que cumprir uma lista de requisitos divulgada pelo Ministério da Educação e Treinamento para evitar a contaminação com a infecção.  Dentre as medidas estão itens médicos e de higiene como termômetros e sabão, controle de temperatura, máscaras e distanciamento. Além disso, as diretrizes também tratam de higiene alimentar e ambiental. A parceria com o Unicef possibilitou todos os 43.996 alunos do país a implementarem o protocolo de segurança nas escolas para facilitar a voltas às aulas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud