ONU presta tributo a 77 funcionários mortos em serviço no ano passado
BR

30 junho 2020

Homenagem virtual foi liderada pelo secretário-geral, António Guterres, e pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Nações Unidas, Patricia Nemeth; mortes ocorreram nos últimos nove meses de 2019; metade era militar.
 

As Nações Unidas fizeram um tributo a 77 funcionários que perderam a vida em serviço.

A cerimônia virtual foi dirigida pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores da ONU, Patricia Nemeth, e pelo secretário-geral, António Guterres.

A cerimônia virtual foi dirigida pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores da ONU, Patricia Nemeth, e pelo secretário-geral, António Guterres. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Compromisso

O secretário-geral lembrou que os perigos enfrentados em crises, conflitos e instabilidade são uma triste realidade hoje para os funcionários da organização.

Guterres afirmou que a escolha de servir em áreas de risco prova o compromisso dessas pessoas em ajudar os mais vulneráveis no mundo, e aqueles que dependem da ONU para a paz, alimentos, abrigos, vacinas e muito mais.

Dentre os mortos estão 38 militares, três policiais e 36 trabalhadores civis que eram de 41 países.  Antes de pedir um minuto de silêncio, Guterres expressou o luto pelo falecimento dos colegas e celebrou a memória deles.

O chefe da ONU afirmou que os funcionários mortos se sacrificaram para que o mundo pudesse ter dias melhores. Ele expressou condolências à família de todos os falecidos e disse que se compromete a melhorar as condições de segurança da organização para todos.

Foto ONU/JC McIlwaine
As missões de paz da ONU envolvem mais de 88 mil militares e policiais de 124 Estados-membros e cerca de 13 mil funcionários civis e 1,3 mil voluntários.

Valores imutáveis

Ao assumir a palavra, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores da ONU, Patricia Nemeth, disse que todos os 77 funcionários que perderam a vida sempre defenderam os mesmos valores imutáveis das Nações Unidas: honra, coragem e dedicação absoluta ao próximo.

Ela afirmou que os trabalhadores da ONU devem continuar sua missão de servir ao mundo como forma de dar seguimento e reconhecer o trabalho dos colegas que partiram no ano passado.

Patricia Nemeth disse que os funcionários mortos em serviços jamais serão esquecidos e que eles devem agora descansar “em terreno seguro e abençoado marcando para sempre sua devoção à humanidade e ao mundo”.
 
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud