Covid-19 reduzirá 27% do comércio internacional já no segundo trimestre
BR

11 junho 2020

Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, revela que desempenho seguirá tendência dos primeiros três meses deste ano; estudo destaca colapso no comércio não-automotivo e de energia.

O valor do comércio internacional de mercadorias diminuiu cerca de 5% no primeiro trimestre de 2020, mas devido à Covid-19 essa redução chegará a 27% já no segundo trimestre deste ano.

A Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, destaca que as interrupções nos setores econômico e social pela pandemia provocam um declínio dramático no comércio.

Importações

Os números mais recentes apontam uma deterioração em abril e maio. Nos países em desenvolvimento, o comércio parece ter caído num ritmo mais acelerado que nos países desenvolvidos.

Relatório indica que comércio global sofrerá queda de 20% por causa do novo coronavírus em 2020. , by ©MSC shipping

O documento revela que as importações nas economias em desenvolvimento caíram 19% nesse mês, enquanto as exportações diminuíram 18%.

Dados das principais economias globais sugerem um cenário sombrio mais agravado no comércio internacional. Tendo em conta a “incerteza persistente”, a Unctad prevê um declínio de cerca de 20% este ano.

À exceção de janeiro e fevereiro, a China parece se ter saído melhor do que outras grandes economias. As exportações cresceram 3% em abril, mas essa performance pode durar pouco com a queda de cerca de 8% nas importações e exportações, observada em maio.

Regiões

O comércio inter-regional parece ter caído para uma taxa muito mais baixa nos países do Leste Asiático e do Pacífico.

Em relação ao comércio inter-regional da União Europeia, houve queda num ritmo semelhante ao do comércio geral. Por outro lado, as estatísticas dos Estados Unidos indicam um declínio muito mais forte do comércio inter-regional.

Em termos do comércio internacional os dados relativos ao segundo trimestre de 2020 indicam uma desaceleração muito mais grave.

As empresas de comércio não-automotivo e de energia entraram em colapso, e o comércio de produtos agroalimentares permaneceu estável. Já a compra e venda de insumos médicos para a Covid-19 mais do que dobrou em abril.

ONU/Katya Pugacheva
A normalmente movimentada Park Avenue da cidade de Nova Iorque deserta com pessoas em casa devido à pandemia de coronavírus.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud