Guterres diz que ONU continua aberta para servir as pessoas BR

Funcionária da ONU higieniza as mãos ao entrar na sede da organização em Nova York.
ONU/Loey Felipe
Funcionária da ONU higieniza as mãos ao entrar na sede da organização em Nova York.

Guterres diz que ONU continua aberta para servir as pessoas

Assuntos da ONU

Secretário-geral tem “a maior confiança” de que funcionários da ONU se manterão seguros para continuar a servir; organização tem cerca de 100 mil boinas-azuis em todo o mundo e dezenas de milhares de trabalhadores humanitários que “estão totalmente focados em garantir que o trabalho continuará a ser feito.”

Devido ao novo coronavírus, as Nações Unidas aumentaram os esforços para cumprir seus mandatos e ajudar a salvar vidas. 

Em um e-mail para todos os funcionários da ONU, o secretário-geral, António Guterres, afirmou que a organização "continua aberta para trabalhar", mas esse trabalho “será realizado em diferentes locais, usando diferentes tecnologias".

Tweet URL

Necessidade

O chefe da ONU destacou a necessidade de "reduzir a presença física" na sede da ONU, implementando o teletrabalho a tempo integral, com poucas exceções. Ele disse que a decisão seria reavaliada em três semanas.

O pessoal da sede em Nova Iorque continuará prestando apoio aos outros escritórios em Genebra, Nairóbi e Viena, além de missões no campo. O trabalho de coordenação entre vários governos também continua, como as sessões do Conselho de Segurança.

Guterres disse que "nos próximos dias e semanas”, o mundo “dependerá mais do que nunca do senso de responsabilidade e profissionalismo de todos." O chefe da ONU afirmou que tem “a maior confiança” de que os funcionários da ONU se manterão seguros para continuar a servir as pessoas. 

Prioridades

Segundo o porta-voz do secretário-geral, Stéphane Dujarric, existem duas preocupações principais: primeiro, manter todas as pessoas que trabalham e visitam a sede da ONU seguras; segundo, ajudar a cidade de Nova Iorque a controlar o vírus. 

Dujarric lembrou que a ONU tem cerca de 100 mil boinas-azuis em todo o mundo e dezenas de milhares de trabalhadores humanitários. Segundo o porta-voz, todos os chefes das agências “estão totalmente focados em garantir que o trabalho continuará a ser feito.”

Dujarric afirmou que os trabalhadores humanitários, em particular, têm o dever de ter todos os cuidados para limitar a disseminação do novo coronavírus entre algumas das populações mais vulneráveis do planeta.

Segundo o porta-voz, “o mesmo acontece com as operações de manutenção da paz.” Nesse momento, a ONU está mudando as rotações das tropas, tentando limitar essas mudanças, atrasando algumas que estavam previstas. 

Pelo mundo

O Palácio das Nações, que acolhe o escritório da ONU em Genebra, com mais de 1,6 mil funcionários, é o maior posto de serviço fora de Nova Iorque. No sábado, a diretora-geral, Tatiana Valovaya, repetiu o pedido do secretário-geral, dizendo que o trabalho continua, “mas será feito de maneira diferente.”

Secretário-geral: "Devemos declarar guerra a esse vírus"

A diretora do Serviço de Informações da ONU em Genebra, Alessandra Velluci, afirmou que os funcionários "farão a sua parte" em tempos difíceis. Todos trabalharão de forma remota, a menos que sua presença no edifício seja absolutamente necessária. 

Velluci disse que “a família das Nações Unidas em Genebra continuará fazendo sua parte, trabalhando em crises de migrantes e refugiados, implementando projetos de desenvolvimento sustentável, discutindo questões de direitos humanos e medidas relacionadas ao comércio e, acima de tudo, apoiando os esforços árduos da OMS e seus parceiros na luta contra a pandemia.”

Em Viena, que abriga a Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial, Unido, e Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, o teletrabalho também começa na segunda-feira.

Em nota conjunta, os chefes das agências com sede na cidade austríaca afirmaram que “todos podem ajudar a tentar conter a propagação do covid-19 e reduzir o risco de transmissão.”

Na sede da ONU na África, em Nairobi, medidas semelhantes estão sendo implementadas.