Número de casos confirmados do novo coronavírus passa de 125 mil BR

Um estudo das Nações Unidas revela que 75% das pandemias são transmitidas de animais domésticos ou silvestres para seres humanos.
ONU/Loey Felipe
Um estudo das Nações Unidas revela que 75% das pandemias são transmitidas de animais domésticos ou silvestres para seres humanos.

Número de casos confirmados do novo coronavírus passa de 125 mil

Saúde

Agência da ONU confirma que 118 países estão afetados; compromisso político insuficiente de algumas nações aumenta preocupação; diretor-geral da agência sugere quatro frentes de atuação nacional contra o covid-19.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, OMS, Tedros Ghebreyesus, disse esta quinta-feira que os governos devem redobrar os esforços para controlar a pandemia do novo coronavírus.

Na primeira atualização, após a declaração da pandemia do covid-19, o chefe da agência afirmou que há profunda preocupação com “países que não estariam abordando a ameaça com o nível de compromisso político necessário para controlá-la”.

Para o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, não é possível combater um vírus se não se souber onde está.
Para o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, não é possível combater um vírus se não se souber onde está.  ONU/ Elma Okic

Ameaça e perigo

Cerca de 125 mil casos da doença já foram relatados à OMS por 118 países e territórios. Ghebreyesus lembrou que, nas últimas duas semanas, os casos notificados fora da China aumentaram quase 13 vezes e o número de nações afetadas quase triplicou. Mais de 4,6 mil pessoas morreram.

O chefe da OMS destacou ainda que a declaração da pandemia do covid-19 não significa que os países devem desistir. Ele alertou para o erro e perigo dos Estados passarem de ações de contenção para a mitigação.

Ghebreyesus explicou que a nova avaliação se deve à velocidade e dimensão da transmissão, além da preocupação com o empenho insuficiente de alguns países em enfrentar a ameaça.

Para o chefe da OMS, não se deve desistir da situação controlável sob pena de  se terminar com um problema maior e um fardo mais pesado para o sistema de saúde que requer medidas de controle mais severas.

Guterres: Pandemia da nova cepa do coronavírus é um apelo à ação

Equilíbrio

Na apresentação a jornalistas, em Genebra, o chefe da OMS apelou aos países que encontrem um bom equilíbrio entre proteção da saúde, barreiras às perturbações econômicas e sociais, além do respeito aos direitos humanos.

O apelo feito aos Estados é que abordem a questão “de uma forma abrangente, adaptada às suas circunstâncias tendo a contenção como pilar central.”

O chefe da OMS apontou quatro frentes que devem servir para criar estratégias nacionais. Primeiro, o apelo é preparar e estar pronto. Pelo menos 77 países e territórios não relataram casos e outros 55 têm até 10 pacientes.

A segunda frente é detectar, prevenir e tratar casos. Para Ghebreyesus, não é possível combater um vírus se não se souber onde está. Para isso, ele pediu vigilância robusta para encontrar, isolar, testar e tratar os casos quebrando as cadeias de transmissão.

Nos Estados Unidos, funcionários do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, CDC, estão apoiando a resposta ao coronavírus no Centro de Operações de Emergência da organização.
CDC/James Gathany
Nos Estados Unidos, funcionários do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, CDC, estão apoiando a resposta ao coronavírus no Centro de Operações de Emergência da organização.

Inovação

Como terceira frente, o chefe da OMS pediu a redução e supressão de casos para salvar vidas. Entre as medidas estariam encontrar e isolar o maior número possível de pacientes, além de colocar em quarentena as pessoas mais próximas com quem tenham tido contato.

Em quarto lugar, a OMS recomenda inovação. A agência destaca que todos estão aprendendo com a pandemia e devem encontrar novas formas de prevenir infecções, salvar vidas e minimizar seu impacto. 

Mais de US$ 440 milhões já foram prometidos por doadores para financiar o Plano Estratégico de Preparação e Resposta da OMS.