ONU diz que medo não pode viralizar após pandemia de novo coronavírus
BR

12 março 2020

Secretário-geral acredita que atuação conjunta possa mudar rumo da situação; mensagem destaca que são necessários esforços maiores e mais intensos dos governos; OMS está preocupada com o medo e apela ao cuidado no uso do termo pandemia.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que a declaração de pandemia da nova cepa do coronavírus é um apelo à ação para “todas as pessoas em qualquer lugar”.

Em mensagem de vídeo, o chefe da ONU considera que a nova descrição feita pela Organização Mundial da Saúde, OMS, também é um pedido de responsabilidade e solidariedade a nações e pessoas unidas.

OMS destacou que nas últimas duas semanas, o número de casos fora da China aumentou 13 vezes.
OMS destacou que nas últimas duas semanas, o número de casos fora da China aumentou 13 vezes. Foto: Unfpa China

Casos

A OMS revelou que havia mais de 118 mil casos da doença em 114 países no momento em que declarou pandemia do novo coronavírus nesta quarta-feira. Pelo menos 4.291 pessoas perderam a vida em todo o mundo.

A agência destacou que nas últimas duas semanas, o número de casos fora da China aumentou 13 vezes. Já a quantidade de países afetados triplicou.

Em sua mensagem, o chefe da ONU considera o covid-19 uma ameaça comum. Para o secretário-geral, enquanto as ações de combate estão em curso “não se pode deixar o medo viralizar”.

A expectativa é que uma atuação em conjunto ainda possa mudar o curso da pandemia. Para isso, Guterres recomenda abordar a falta de ação.

Ciência

Guterres disse que segundo a ciência quando os países detectam, testam, tratam, isolam, rastreiam e mobilizam seu pessoal na resposta abrem novas perspectivas para mitigar a transmissão.

O apelo feito aos governos é que intensifiquem e ampliem seus esforços de imediato. Guterres lembrou que a crise afeta a todos e todos devem fazer sua parte.

O secretário-geral lamentou as vidas perdidas e pelas famílias que sofrem ao apelar a solidariedade com os mais frágeis. Ele destacou em especial os idosos, os doentes, as pessoas sem cuidados de saúde ou na iminência da pobreza.

A mensagem encoraja o mundo a continuar com as ações de combate com determinação e sem estigma.

No fim da mensagem, o chefe da ONU garante que a organização fará sua parte na ação conjunta para ultrapassar a ameaça do covid-19.

Passageiros usam máscaras em trem após registro do primeiro caso de coronavírus em Nova Iorque.
ONU/Loey Felipe.
Passageiros usam máscaras em trem após registro do primeiro caso de coronavírus em Nova Iorque.

Medo

Em Genebra, o diretor-geral da OMS disse que pandemia não é uma palavra para ser usada incorretamente porque “pode causar um medo irracional ou uma noção injustificada de que a luta terminou, o que leva a sofrimento e mortes desnecessários”.

Tedros Ghebreyesus incentivou o mundo a usar palavras que mas importam e são práticas como “prevenção, preparação, saúde pública, liderança política e acima de tudo, pessoas”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud