Sudão do Sul tem campanha para vacinar 2,5 milhões de crianças contra sarampo
BR

5 fevereiro 2020

Desde janeiro de 2019, foram confirmados mais de 4,7 mil casos, com 26 mortes; objetivo é subir taxa de cobertura da vacina de 59% para 95%.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, estão a ajudar a vacinar 2,5 milhões de crianças contra o sarampo no Sudão do Sul.  

Segundo a ONU, a campanha é “essencial”, pois o país enfrenta um surto de sarampo sem precedentes. Desde janeiro de 2019, foram confirmados mais de 4,7 mil casos, com 26 mortes. 

Crise 

A vacinação é a maneira mais eficaz de proteger as crianças contra a doença, que é altamente contagiosa. 

Em nota, o subsecretário do Ministério da Saúde, Makur Matur Kariom, disse que é preciso "aumentar a cobertura das vacinas para proteger as crianças contra surtos." Segundo ele, a cobertura continua sendo baixa no país, com apenas 59% de todos os meninos e meninas. 

As crianças também recebem suplementos de vitamina A e comprimidos para se livrarem de parasitas, o que é crucial para o sistema imunológico e para a capacidade de combater doenças, além de prevenir a cegueira. 

Fases 

A campanha acontece em duas fases. A primeira começou na terça-feira e abrangerá quase 70% dos municípios que ocupam o antigo território da Equatória Central. A segunda cobrirá o resto do país e deve terminar em 17 de março. 

O representante do OMS no Sudão do Sul, Olushayo Olu, disse que a “campanha irá contribuir para a redução de doenças e mortes.” Segundo ele, a ONU está comprometida em apoiar o Ministério da Saúde a atingir mais de 95% de cobertura.  

Grandes partes das populações-alvo estão em áreas de difícil acesso. Para contornar esse problema, a ONU e os seus parceiros estão planejando postos de vacinação em todo o país, mesmo nas áreas onde o acesso aos serviços de saúde é mais carente. 

O representante do Unicef, Sul Mohamed Ag Ayoya, afirmou que “toda criança tem direito à saúde.” O especialista destacou a importância de aumentar a cobertura, dizendo que “é muito importante chegar até à última criança.” 

O vírus do sarampo é altamente infeccioso e pode causar erupções cutâneas, infecções oculares, infecções respiratórias, diarreia e até morte. 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Surto de sarampo mata mais de 6 mil na República Democrática do Congo

OMS pede mais fundos para conter a onda de contaminação; ação do governo com parceiros imunizou mais de 18 milhões de crianças menores de cinco anos; agentes de saúde recém-treinados estão chegando às áreas mais afetadas esta semana.