ONU felicita assinatura de acordo de cessar-fogo permanente em Moçambique

2 agosto 2019

Coordenadora residente diz que documento abre caminho para paz duradoura e sustentável; presidente do país e líder da Renamo fecharam acordo esta quinta-feira.

A coordenadora residente das Nações Unidas em Moçambique, Myrta Kaulard, felicitou a assinatura do acordo de cessar-fogo permanente entre o Presidente da República de Moçambique e o presidente da Renamo.

Filipe Jacinto Nyusi e Ossufo Momade assinaram o documento na Serra da Gorongosa, no centro do país, colocando um fim formal dos confrontos entre as forças governamentais e o braço armado do principal partido da oposição.

Acordo foi negociado nos últimos anos. Coordenadora residente da ONU diz esperar que documento abra caminho para paz sustentável. Foto: ONU Moçambique

Apoio

Em nota, a coordenadora residente elogia “ambas as partes por honrarem seus compromissos e por abrirem caminho para uma paz duradoura e sustentável”.

As Nações Unidas também confirmam o seu compromisso em apoiar o processo de paz, prosperidade e desenvolvimento sustentável para todos em Moçambique.

Desarmamento

Segundo agências de notícias, o entendimento entre os dois líderes acontece depois de se ter iniciado na segunda-feira o processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração dos membros do partido Resistência Nacional Moçambicana, Renamo.

Também foi aprovado um pacote legislativo de descentralização que prevê a eleição de governadores das 10 províncias nas eleições gerais de 15 de outubro. Antes, os governadores provinciais eram nomeados pelo chefe do Estado.

O governo moçambicano e a Renamo já assinaram em 1992 um Acordo Geral de Paz, que pôs fim a 16 anos de guerra civil, mas que foi violado entre 2013 e 2014 por confrontos armados entre as duas partes.

O país realiza eleições presidenciais a 15 de outubro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Ciclones podem aumentar para 1,9 milhão o número de moçambicanos enfrentando insegurança alimentar

PMA destaca difícil situação que vai prevalecer até próxima safra prevista para março no país; cerca de 900 mil beneficiários são de áreas afetadas pelo ciclone Idai e 100 mil de regiões assoladas pelo ciclone Kenneth.