ONU honra legado do presidente da Tunísia

A bandeira da Tunísia (centro)  no mastro na sede das Nações Unidas em Nova Iorque.
ONU/Loey Felipe
A bandeira da Tunísia (centro) no mastro na sede das Nações Unidas em Nova Iorque.

ONU honra legado do presidente da Tunísia

Assuntos da ONU

Beji Caid Essebsi perdeu a vida nesta segunda-feira, aos 92 anos; secretário-geral destaca papel liderança do falecido líder para o sucesso da transição do país para a democracia.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse ter ficado profundamente triste em tomar conhecimento do falecimento do presidente da Tunísia, Beji Caid Essebsi, a quem considera “uma figura fundamental da história e da independência do país”.

Considerado um ator importante na transição do país para a democracia após a primavera árabe, o líder tunisino perdeu a vida esta segunda-feira, aos 92 anos. Os últimos momentos foram passados no hospital militar onde foi internado em maio.

Escritório

Agências de notícias informaram que Essebsi fez a mais recente aparição pública em um vídeo de uma reunião no Ministério da Defesa, divulgada pelo seu escritório na segunda-feira.

Na mensagem, Guterres destaca que nos últimos anos, Essebsi “foi fundamental para conduzir com sucesso o país através de sua transição histórica e pacífica para a democracia”.

Para o chefe da ONU, o líder será lembrado “por sua ousada determinação em manter o governo democrático na Tunísia e em respeitar e promover os direitos de seus cidadãos, incluindo sua forte defesa dos direitos e da igualdade das mulheres”.

Líder

A nota de Guterres ressalta ainda o presidente Essebsi como um pioneiro no país, um pioneiro árabe e africano e um líder global.

O secretário-geral das Nações Unidas expressou condolências à família do presidente Essebsi, ao povo e ao Governo da Tunísia.