Europa recebe nova onda de calor

23 julho 2019

Organização Meteorológica Mundial alerta para secas em França e recordes de temperatura em vários locais na Europa; incêndios florestais em Portugal consumiram 2 mil hectares no espaço de um dia; cheias ocorrem nos Estados Unidos. 

Muitas partes da Europa devem se preparar para uma nova onda de calor recorde esta semana, afirmou esta terça-feira a Organização Meteorológica Mundial, OMM.

Temperaturas superiores a 40° C são esperadas no pico da onda, na quinta-feira, incluindo na Alemanha, na Bélgica, na Holanda e em Luxemburgo, onde as temperaturas intensas podem se tornar as mais altas já registradas nesses países.

As previsões meteorológicas para a América do Norte, América Central e Caribe apontam para ondas de calor durante o verão de 2019, Reprodução/OMM

Seca

Falando a jornalistas em Genebra, a porta-voz da OMM disse que os serviços meteorológicos franceses “estão alertando que a onda de calor agravará a seca.”

Segundo Clare Nullis, não choveu em muitas partes da França desde o final da última onda de calor, nos últimos dias de junho e primeiros de julho. Vários locais no país alcançaram novos recordes mínimos de chuva desde que esse registro é feito.

Mundo

Em Portugal, continuam os severos incêndios florestais, com uma área ardida de 2 mil hectares no espaço de apenas um dia.

Na Espanha, também estão previstas temperaturas acima de 40 ° C. Segundo a porta-voz, “o serviço meteorológico espanhol está novamente alertando para um risco extremo de incêndio em grande parte do país.” Existe uma combinação de calor, vento e o risco de tempestades e raios que aumentam a possibilidade de incêndios.

Novos registros mínimos de temperatura durante a noite aconteceram durante a noite de segunda a terça-feira, 22 e 23 de julho, principalmente no sudoeste da França, com uma mínima de 24,8° C em Bordeaux.

Nos Estados Unidos, vários locais tiveram temperaturas recordes no fim de semana, inclusive em Nova Jérsia, onde uma máxima de 37,8° C foi medida no sábado. A onda de calor terminou, com a chegada de uma frente fria.

A porta-voz da OMM disse que a frente fria “efetivamente pôs fim à onda de calor” e que “muitas vezes o outro lado do calor são as tempestades.” O serviço meteorológico nacional está prevendo tempestades severas e inundações em algumas partes do país.

Mudança

Segundo Nullis, eventos climáticos extremos estão se tornando cada vez mais comuns e “ondas de calor carregam a marca da mudança climática”.

Segundo ela, estes eventos “estão começando mais cedo e estão se tornando mais intensos.” A representante afirmou que “este não é um problema que vai desaparecer, mas graças aos avisos de calor e os planos de ação de saúde o incidente de 2003, com a onda de calor europeia, deve agora ser uma coisa do passado.”

Nullis terminou dizendo que o mundo agora “sabe mais, aprendeu a lição e colocou medidas em prática.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Planeta Terra teve o mês de junho mais quente já registrado

Organização Meteorológica Mundial aponta que dados mostram que nove dos 10 junhos mais quentes ocorreram desde 2010; mês também apresentou a segunda menor extensão de gelos do Ártico para junho em 41 anos de registros.