ONU promete apoio para modernizar setor da habitação na Guiné-Bissau

12 junho 2019

Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos capacita técnicos guineenses; iniciativa que promove  liderança e gestão urbana foi aberta pelo ministro das Obras Públicas.*

As Nações Unidas vão apoiar a execução do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, designado Bissau 2030, que está alinhado aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável.

A informação foi dada à ONU News, em Bissau, pelo responsável da Unidade de Capacitação do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos, ONU-Habitat, para a África, Europa e América Latina.

Sede da Associação dos Amigos da Criança, Amic, na Guiné-Bissau. Foto: ONU News/Alexandre Soares

Assistência

Cláudio Acioly falava à margem da Oficina para a Liderança e Gestão Urbana, que  quarta-feira junta cerca de 50 técnicos para abordar conceitos e instrumentos sobre os principais problemas na gestão urbana.

Para o Arquiteto e Planeador do ONU-Habitat, o Plano Bissau 2030 responde às necessidades do país na busca de um desenvolvimento sustentável em que ninguém fique para trás.

“O Plano Bissau 2030 olha das premissas e oportunidades da cidade e as suas dificuldades ambientais, as limitações, as necessidades e as estratégias de criar oportunidades onde existem essas oportunidades. A comunidade internacional que apoia o desenvolvimento da Guiné-Bissau certamente vai dar apoio”.

Construções Precárias

Falando da situação habitacional da Guiné-Bissau, Cláudio Acioly disse que a aglomeração como a que é observada na cidade de Bissau, ligada à busca de melhores condições de vida e de trabalho, coloca pressão sobre o solo urbano. Como resultado disso, surge um processo de construção informal e de baixa qualidade.  

Segundo ele, a qualidade das habitações na Guiné-Bissau, na sua esmagadora maioria construções populares de adobes, pode ser melhorada.

“ A forma de construir popularmente na Guiné-Bissau pode ser uma forma duradoira desde que tenhamos uma boa fundação e que o adobe seja produzido de uma forma adequada, seco há sombra e a resistência e estabilidade necessária. No Brasil, por exemplo, existem edifícios construídos por adobe estão aí.”

Estatuto económico

O Produto Interno Bruto da Guiné-Bissau é de US$ 1,45 mil milhão. Mais de dois terços da população vive com menos de US$ 2 por dia e mais de um terço enfrenta a situação de pobreza extrema, razão pela qual a situação habitacional do país é informal.

A ONU-Habitat dá assistência técnica ao país no âmbito de um convénio de cooperação com a Câmara Municipal de Bissau e o Ministério das Obras Públicas, Construções e Urbanismo cujo ministro, Óscar Barbosa, presidiu a sessão inaugural da oficina.

*De Bissau para a ONU News, Amatijane Candé

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Projetos da Guiné-Bissau e Brasil vencem concurso da ONU para meio ambiente

É a primeira vez que uma iniciativa do país africano vence o Prémio Equador, que distingue soluções inovadoras para enfrentar os desafios da mudança climática; no passado, prémio foi entregue a personalidades como Al Gore ou Gisele Bündchen. 

ESPECIAL: As mulheres que “mantêm o diálogo vivo” na Guiné-Bissau

Conheça os rostos que impulsionam a participação feminina na vida política do país lusófono; as guineenses que mediaram debates, fundaram associações e criaram leis durante a crise dos últimos quatro anos são o destaque na última parte da série especial sobre a Guiné-Bissau.