Guterres elogia progressos mas pede mais esforços para acordo na Líbia

 Unicef chama a atenção para a atual crise lembrando haver cerca de 500 mil crianças afetadas pela violência no oeste da Líbia. 
Ocha/Giles Clarke
Unicef chama a atenção para a atual crise lembrando haver cerca de 500 mil crianças afetadas pela violência no oeste da Líbia. 

Guterres elogia progressos mas pede mais esforços para acordo na Líbia

Paz e segurança

Secretário-geral da ONU saudou realização de encontro entre as partes; mediação tem sido feita pelo enviado especial para o país; estabilização das instituições e eleições são temas prioritários.

O secretário-geral saudou esta sexta-feira a reunião de 27 de fevereiro nos Emirados Árabes Unidos que abordou a realização de eleições na Líbia.

No encontro convocado pelo representante especial da ONU para a Líbia, Ghassan Salamé, participaram o primeiro-ministro da Líbia, o presidente do Conselho de Presidência do Governo de Acordo Nacional e o Comandante do Exército Nacional.

Progressos

Em nota emitida pelo seu porta-voz, Stéphane Dujarric, o secretário-geral elogiou as partes pelos progressos alcançados.
Em nota emitida pelo seu porta-voz, Stéphane Dujarric, o secretário-geral elogiou as partes pelos progressos alcançados.
​​​​​​​Foto: ONU

Em nota emitida pelo seu porta-voz, Stéphane Dujarric, o secretário-geral elogia as partes pelos progressos alcançados.

Em particular, Guterres saúda “o acordo sobre a necessidade de pôr fim à transição da Líbia através da realização de eleições gerais e o compromisso de manter a estabilidade no país e unificar as suas instituições.”

A expectativa do secretário-geral é que sejam alcançados mais progressos com base no que já foi acordado “com o apoio da comunidade internacional.”

Conflito

A Líbia vive um período de instabilidade política há vários anos com graves consequências sociais e económicas.

A administração é partilhada entre o Governo de Acordo Nacional, baseado em Trípoli, e autoridades que controlam áreas do leste.

O recente relatório do secretário-geral da ONU ao Conselho de Segurança revela que confrontos entre grupos armados no verão passado destruiíram infraestruturas críticas, suspenderam o tráfego aéreo e mataram pelo menos 120 civis.

Em setembro, foi firmado um acordo de cessar-fogo promovido pela Missão da ONU de Apoio à Líbia, Unsmil, e definido um novo plano de estabilização do país. 

A missão começou então a trabalhar na organização de uma conferência nacional para impulsionar a realização de eleições credíveis e inclusivas e encerrar a transição da Líbia.