Morte de dezenas de refugiados e migrantes no Mediterrâneo choca Acnur
BR

19 janeiro 2019

Segundo relatos de ONGs cerca de 170 pessoas teriam desaparecido ou perdido a vida em dois naufrágios distintos; para alto comissário da ONU para Refugiados, a “tragédia no Mediterrâneo não pode continuar.”

A Agência de Refugiados da ONU, Acnur, disse estar profundamente triste com recentes relatos de que cerca de 170 pessoas teriam morrido ou desaparecido em dois naufrágios no mar Mediterrâneo. 

De acordo com informações de fontes de organizações não-governamentais, pelo menos 53 pessoas teriam perdido a vida no Mar Alborán, que fica no oeste do Mediterrâneo. 

Em 2018, 2.262 pessoas perderam a vida ao tentarem chegar à Europa pelo Mar Mediterrâneo. , by Unicef/ Ashley Gilbertson VII

Um sobrevivente teria sido resgatado por um barco de pesca depois de ficar por mais de 24 horas no mar e estaria recebendo tratamento médico no Marrocos.

Resgate

Embarcações de resgate marroquinos e espanhóis estão procurando o barco e os sobreviventes por vários dias sem sucesso.

A Marinha Italiana também relatou um outro naufrágio no Mediterrâneo Central. 

Três sobreviventes do naufrágio foram levados para tratamento em Lampedusa. Os sobreviventes teriam informado que outras 117 pessoas, que estariam mortas ou desaparecidas, estavam abordo com  eles quando partiram da Líbia. 

Tragédia

O Acnur não conseguiu verificar de forma independente o número de mortos em ambos os navios naufragados.

O alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, disse que “a tragédia no Mediterrâneo não pode continuar.” Grandi acrescentou não se pode “fechar aos olhos ao elevado número de pessoas que morrem à porta da Europa” e que “nenhum esforço deve ser poupado, ou impedido, de salvar vidas em perigo no mar ”.

Mediterrâneo

Em 2018, 2.262 pessoas perderam a vida ao tentarem chegar à Europa pelo Mar Mediterrâneo. 

Uma das preocupações do Acnur é de que as ações dos Estados estejam cada vez mais impedindo as ONGs de conduzir operações de busca e salvamento. A agência da ONU pede que elas sejam levantadas imediatamente.

Jornadas Desesperadoras

Ao mesmo tempo, o Acnur destaca que são necessários esforços maiores para prevenir que, em primeiro lugar, refugiados e migrantes iniciem estas “jornadas desesperadas”.  

Para a agência pessoas que estão  fugindo da guerra e da perseguição precisam de vias mais seguras e legais para o acesso ao asilo na Europa.  Estes caminhos são necessários para que ninguém se sinta obrigado a colocar suas vidas nas mãos de traficantes e contrabandistas inescrupulosos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud