Angelina Jolie dirige apelo à comunidade internacional em visita a Bangladesh
BR

5 fevereiro 2019

Atriz e embaixadora da Boa Vontade da Agência de Refugiados da ONU encontrou refugiados rohingya durante missão no país; Bangladesh abriga atualmente quase 1 milhão de refugiados da minoria que fugiu de Mianmar.

 

A atriz e embaixadora da Boa Vontade da Agência de Refugiados da ONU, Acnur, visita esta semana a área de Cox’s Bazar, no Bangladesh. Na missão de três dias, Angelina Jolie deve avaliar as necessidades dos refugiados rohingya, assim como os principais desafios enfrentados pelo país.

Desde agosto de 2017, Bangladesh recebeu mais de 730 mil refugiados do Mianmar e atualmente abriga quase 1 milhão de pessoas do país vizinho. A maior parte delas, mais de 620 mil pessoas, estão vivendo em Kutupalong, atualmente considerado o maior acampamento de refugiados no mundo.

 

Violência

Em declaração divulgada nesta terça-feira, Angelina Jolie disse que os eventos ocorridos após agosto de 2017 mostraram o “melhor e o pior da humanidade que existe no nosso mundo hoje.”

A embaixadora destacou que apesar “do número de mortes ser desconhecido, relatos sugerem que milhares de pessoas foram assassinadas desde o início da violência em Mianmar, incluindo mulheres e crianças”, e que “todos foram deixados traumatizados.”

Angelina Jolie encerrará a visita em Daca onde terá reuniões oficiais com o primeiro ministro, Sheikh Hasina, e o ministro da Negócios Estrangeiros, AK Abdul Momen.

Na capital bengalesa, a intenção é discutir a melhor forma de apoio do Acnur à atual resposta liderada pelo governo de Bangladesh, assim como a necessidade de soluções seguras e sustentáveis para a situação de “uma das minorias mais perseguidas do mundo”.

Apelo

A visita de Angelina Jolie antecede o lançamento de um novo apelo para a situação humanitária em Bangladesh, o Plano de Resposta Conjunta 2019.  A iniciativa visa arrecadar cerca de US$ 920 milhões para continuar atendendo as necessidades básicas dos refugiados rohingya e das comunidades anfitriãs.

Para a atriz, a “generosidade de Bangladesh ao dar ao povo rohingya um local seguro é um gesto de humanidade significante e visível.” A embaixadora disse que “foi profundamente perturbador encontrar famílias que só conheceram toda a vida a perseguição e a condição de apatridia, que falam de ser “tratados como gado””.

Mais de 620 mil pessoas, estão vivendo em Kutupalong, atualmente considerado o maior acampamento de refugiados no mundo.
Acnur/ Roger Arnold
Mais de 620 mil pessoas, estão vivendo em Kutupalong, atualmente considerado o maior acampamento de refugiados no mundo.

Refugiados

Angelina Jolie destacou ainda que as famílias que encontrou não são diferentes de outros refugiados em sua intenção de retornar à casa. Ela fez um apelo às autoridades de Mianmar para que “mostrem o comprometimento genuíno necessário para encerrar o ciclo de violência e deslocamento e melhorar as condições para todas as comunidades do estado de Rakhine.”

A embaixadora chamou a atenção para a situação das crianças que continuam sem acesso à educação e também contou que durante a visita encontrou muitos sobreviventes de violência sexual e de gênero, incluindo estupro em massa.

Angelina Jolie pediu que “a comunidade internacional continue a fornecer a ajuda humanitária necessária para atender as necessidades dos refugiados e apoiar as comunidades que os abrigam de forma tão generosa.”
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud