ONU lança campanha sobre refugiados #GenteDaGente no Brasil
BR

3 julho 2019

Iniciativa conta a história de refugiados de vários países para gerar empatia e solidariedade entre o público brasileiro; Acnur Brasil estima que 11 mil refugiados e solicitantes de refúgio vivem no país.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, lançou no Brasil uma campanha com o tema #GenteDaGente para mostrar que os refugiados são pessoas como quaisquer outras.

A agência diz que ainda existem mitos de que estas pessoas seriam “terroristas”, “fugitivos” ou que “roubarão os nossos empregos” e que a campanha pretende informar melhor a esse respeito.

Objetivo

O representante do Acnur no Brasil, José Egas, disse à ONU Brasil que “refugiados são pessoas que têm sonhos e planos para um futuro melhor, como qualquer um.” Segundo ele, “a campanha #GenteDaGente mostra exatamente isso, e está sendo lançada para informar e gerar empatia no público brasileiro.”

O conceito de comunicação da campanha se baseia nas palavras empatia e solidariedade. A iniciativa reúne o potencial de compaixão dos brasileiros com a história de alguns refugiados, criando conexões interpessoais.

A diretora da campanha, Carla Cancellara, disse que “a vida dos refugiados não era diferente das nossas antes de deixarem seus países, todos tinham e continuam tendo famílias, amigos, sonhos e um objetivo para o futuro.”

Para Cancellara, o objetivo é “trazer essa percepção de identidade e, assim, trazer à tona o perfil solidário arraigado em cada um de nós.”

Cancellara disse que “a campanha oferece ao público uma oportunidade de mostrar na prática essa solidariedade, que é o manifesto de apoio aos refugiados que pode ser assinado por qualquer pessoa que queira se engajar causa dos refugiados.”

Campanha

A campanha mostra refugiados que estão reconstruindo suas vidas no Brasil, apresentando brevemente as suas histórias. A iniciativa é composta por anúncios, filme e ações para gerar envolvimento nas redes sociais.

Participam o venezuelano Carlos, que é jornalista e tem 35 anos, Lúcia, de 21 anos, que é estudante e refugiada da República Democrática do Congo. A Síria é representada por Rama, uma professora de 33 anos.

A chefe da unidade de parcerias com o setor privado do Acnur Brasil, Natasha Alexander, diz que “todos os que estrelam a campanha são pessoas com grande potencial.”

Alexander explica que “a ideia é que conhecendo as histórias de alguns dos mais de 11 mil refugiados e solicitantes de refúgio que hoje vivem no Brasil, os brasileiros fiquem ainda mais sensibilizados e os acolham bem, sem nenhum tipo de preconceito.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud