Países implementam novo mecanismo para redução dos gases de efeito de estufa
BR

4 janeiro 2019

Até agora 65 países ratificaram a Emenda Kigali; alteração no protocolo de Montreal estabelece meta mais ambiciosa; com apoio total, 0,4 ° C de aquecimento global pode ser evitado até o final deste século.

O mundo deu um passo importante no caminho para reduzir drasticamente a produção e o consumo de gases de efeito estufa conhecidos como hidrofluorcarbonos, HFCs, e limitar o aquecimento global.

No primeiro dia de janeiro entrou em vigor a Emenda Kigali ao Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Destroem a Camada de Ozônio, que reduzirá a produção e o consumo de HFCs em mais de 80% nos próximos 30 anos.

Emenda Kigali evitará até 0,4 ° C de aquecimento global neste século. Foto: OMM/Gonzalo Javier Bertolotto Quintana

Gases de Efeito Estufa

Se totalmente apoiada pelos governos, o setor privado e os cidadãos, além de continuar protegendo a camada de ozônio, a Emenda Kigali evitará até 0,4 ° C de aquecimento global neste século e contribuirá para os objetivos do Acordo de Paris.

Os HFCs são compostos orgânicos frequentemente usados ​​em refrigerantes, em aparelhos de ar condicionado e outros dispositivos como alternativa às substâncias destruidoras de ozônio e que são consideradas pelo Protocolo de Montreal.

Embora os HFCs não desgastem a camada de ozônio, eles são gases de efeito estufa extremamente potentes que contribuem para o aquecimento global. Muitas vezes têm um efeito mais negativo do que o dióxido de carbono.

Emenda Kigali

A emenda prevê a capacitação de países em desenvolvimento, o fortalecimento institucional e o desenvolvimento de estratégias nacionais para reduzir os HFCs e substituí-los por substâncias alternativas.

Segundo a Agência da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma, a implementação de novas metas estabelecidas na emenda será feita em três fases. Primeiro com um grupo de países desenvolvidos que iniciará a redução gradual de HFCs.

Em seguida, os países em desenvolvimento congelarão os seus níveis de consumo de HFCs até 2024. Medida que será implementada por todos os outros países até 2028.

Em setembro de 2018, era este o aspecto do buraco na camada de ozônio. Foto: NASA

Camada de ozônio

Ratificada por 65 países até ao momento, a Emenda Kigali se baseia no legado histórico do Protocolo de Montreal, acordado em 1987. O protocolo e suas emendas, ratificadas por 197 nações, exigem a eliminação progressiva da produção e do consumo de substâncias que danificam a camada de ozônio.

O amplo apoio e implementação do Protocolo de Montreal levou à eliminação de mais de 99% dos quase 100 produtos químicos que empobrecem a camada de ozônio e contribuiu significativamente para atenuar as mudanças climáticas.

Segundo dados da ONU, no Hemisfério Norte a camada de ozônio deve ser recuperada completamente na década de 2030, seguido pelo Hemisfério Sul nas décadas de 2050 e as regiões polares em 2060.

Inscreva-se aqui para receber notícias da ONU News por email

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Brasil: ônibus híbrido movido a hidrogênio e eletricidade é referência em sustentabilidade

Laboratório da Universidade Federal do Rio de Janeiro usa hidrogênio como fonte limpa de energia; queima de combustíveis fósseis é uma das principais causas por trás do aquecimento global. *

Na COP24, países chegam a acordo para avançar em metas do Acordo de Paris

Secretário-geral da ONU destaca ambição nas cinco prioridades da ação climática; programação adotada na COP24, em Katowice, inclui série de padrões para medir emissões de gases poluentes e que países desenvolvam políticas nacionais.