Em preparação para Conferência, ONU destaca vulnerabilidade das crianças em movimento
BR

9 dezembro 2018

Eventos paralelos de agências das Nações Unidas antecedem Conferência sobre Migração que reunirá líderes mundiais no Marrocos; no mundo existem 258 milhões de migrantes, dos quais 50 milhões são crianças.

A representante especial do secretário-geral para a Migração Internacional, disse que é importante  fazer com que as “políticas de migração defendam consistentemente os direitos das crianças e os melhores interesses do grupo”.

As declarações foram feitas na abertura do Fórum da Juventude, evento paralelo à Conferência sobre Migração que inicia nesta segunda-feira no Marrocos, na cidade de Marraquexe. 

Interesses

Louise Arbour destacou que “um dos princípios orientadores do Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular é a promoção de obrigações legais internacionais existentes em relação aos direitos das crianças e a necessidade de manter o princípio dos melhores interesses delas em todos os momentos.”

Foto ONU/Mark Garten
Exibição artística representando a migração no centro de conferência no encontro do Pacto Global para Migração no Marrocos

Para chamar a atenção para a questão, o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, junto com o governo do Marrocos, organizaram a exibição “Jornada de um Jovem Migrante: Trazendo à Tona Histórias Através da Arte.” 

Kader, um jovem migrante de Cote d'Ivoire, ou Costa do Marfim, falou sobre a experiência que teve viajando sozinho, numa das rotas de migração mais perigosas do mundo, através do mar Mediterrâneo até a Itália, onde ele encontrou um novo lar. Ele contou sobre o consolo que os migrantes buscam nos objetos que carregam. 

O jovem levou durante toda a jornada um livro com “extrema importância” para ele. Kader disse que o pai costumava dizer que na viagem deveria levar três coisas, ‘um livro, um par de sapatos e uma caneta’. O livro dava a ele conhecimento, a oportunidade de aprender pelo caminho. 

Jovem migrante de Cote d'Ivoire, Kader Diabate, de 20 anos, by ONU News/Mustafa Al-Gamal

Pesquisa

Laurence Chandy, diretor de Dados, Pesquisa e Políticas do Unicef, lembrou em comunicado de impressa que  “enquanto os políticos discutem por questões de migração, 4 mil crianças e jovens desprotegidos estão dizendo que precisam de mais apoio”. 

Uma pesquisa da agência, que ouviu quase 4 mil refugiados e migrantes com entre 14 e 24 anos, indicou que mais da metade dos entrevistados revelaram que foram forçados a deixar seus países, enquanto 44% o fizeram por vontade própria.

O estudo também mostrou a vulnerabilidade dos jovens em movimento, com 58% dos participantes relatando que tiveram que sacrificar um ou mais anos de escola. Quase metade deles não pôde ver um médico quando precisava e 38% não receberam nenhum tipo de ajuda de famílias, amigos ou instituições. 

Migração Segura

Chandy fez um apelo para que os Estados tornem a migração segura adotando o Pacto Global, seus compromissos e ações propostas. 

Já Louise Arbour apontou que o número de crianças pesquisadas pelo UNICEF é uma gota no oceano em comparado ao número real dos menores em movimento. Ela destacou que “existem 258 milhões de migrantes no mundo, dos quais 50 milhões são crianças”.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud