ONU News acompanha visita de Angelina Jolie a refugiados na fronteira entre Peru e Equador

23 outubro 2018

Atriz encontrou com venezuelanos que buscam refúgio em países da América Latina; Acnur elogia solidariedade dos peruanos e equatorianos com os refugiados; Jolie vai reunir-se com presidente do Peru. 

A enviada especial da Agência da ONU para os Refugiados, Acnur, está em visita oficial ao Peru.

O país é dos que mais tem recebido refugiados e migrantes venezuelanos naquele que é já considerado pela ONU como o maior movimento de pessoas na história recente da América Latina.

Encontros

Várias agências da ONU estão a prestar assistência na fronteira do Peru com o Equador a milhares de refugiados venezuelanos, foto: Juliana Quintero e Inés Calde​​​​​​

A ONU News conversou com porta-voz do Acnur, William Spindler, que acompanha a visita da atriz à América do Sul. Ele explicou que Jolie vai encontrar-se com refugiados mas também com autoridades peruanas.

“Estamos a visitar o Peru para encontrar com refugiados venezuelanos e para encontrar-se também com autoridades peruanas. Agora vai encontrar-se com o presidente da República do Peru, o senhor Biscarra, e a senhora Angelina Jolie tem reuniões com refugiados e autoridades locais.”

Segundo o Acnur, o Perú já recebeu mais de meio milhão de refugiados migrantes da Venezuela, sendo um dos principais países de refúgio destes refugiados , tal como o Brasil, a Colômbia e o Equador.

Fronteira norte

O porta-voz do Acnur relatou a visita de Jolie à fronteira no norte do Peru onde constatou a solidariedade dos peruanos e dos equatorianos.

“A senhora Jolie esteve ontem na fronteira com o Equador, em Tumbe, onde a população local se organizou para receber os refugiados venezuelanos. Uma manifestação muito clara da solidariedade dos países da América Latina que mantiveram todas as fronteiras abertas aos refugiados venezuelanos, apesar das dificuldades que eles mesmos enfrentam. Há uma vontade de cooperação entre os países, de solidariedade e de apoio aos refugiados.”

Solidariedade

O representante conta ainda como as pessoas destes países estão a ajudar os refugiados venezuelanos. De acordo com o Acnur, mais de 2 mil venezuelanos cruzam esta fronteira por dia.

“Ela falou diretamente e visitou, por exemplo, um convento, onde foi organizado um refeitório, para dar comida diária aos refugiados: homens, mulheres e crianças e visitou também um posto fronteiriço onde as pessoas recebem assistência e orientação e onde podem pedir a condição de refugiado no Equador. A maioria chega em condições muito difíceis, alguns caminharam durante dias e semanas para chegar até aqui. Chegam com muito poucos pertences, alguns chegam doentes, com fome e com necessidades básicas.”

O representante do Acnur partilhou ainda com a ONU News que é expectável que a o número de pessoas a chegar ao país continue a ser elevado, por isso, considera que “é importante que a sociedade civil e os governos se organizem para receber estas pessoas.”

 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud