21 venezuelanos continuam desaparecidos no mar do Caribe

26 abril 2019

Migrantes viajavam de barco com destino a Trinidad e Tobago; Acnur alerta para riscos extremos destas viagens; mais de três milhões de refugiados e migrantes venezuelanos deixaram o país desde 2015.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, Acnur, está profundamente preocupado com o desaparecimento de pelo menos 21 pessoas no mar do Caribe.

Os cidadãos venezuelanos viajavam de barco desde a Venezuela até Trinidad e Tobago.

Riscos

Mais de três milhões de refugiados e migrantes da Venezuela deixaram o país desde 2015, principalmente para países vizinhos, incluindo as ilhas do sul do Caribe.
​​​​​​​©Acnur/Vincent Tremeau

O porta-voz do Acnur, Babar Baloch, destaca que este trágico incidente evidencia “os riscos extremos de viagens marítimas e outros movimentos transfronteiriços irregulares realizados por refugiados e migrantes.”

O Acnur considera ainda que o caso mostra o desespero daqueles que são obrigados a fugir de suas casas e as extraordinárias dificuldades que enfrentam durante a viagem.

De acordo com a Guarda Costeira de Trinidad e Tobago, um navio chamado "Jhonnaly Jose" que transportava pelo menos 25 pessoas da cidade de Güiria, na Venezuela, naufragou na madrugada de quarta-feira, 24 de abril.

Refugiados

As autoridades informaram que quatro pessoas foram resgatadas. Pelo menos 21 venezuelanos, entre eles mulheres e crianças, continuam desaparecidos e os esforços de resgate continuam.

Em nota, o Acnur recorda ainda que mais de três milhões de refugiados e migrantes da Venezuela deixaram o país desde 2015, principalmente para países vizinhos, incluindo as ilhas do sul do Caribe.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

“Problema humanitário é muito real na Venezuela”, alerta a ONU

Conselho de Segurança acompanhou atualização em sessão convocada pelos EUA;  chefe humanitário, Mark Lowcock, pediu atenção para 7 milhões de pessoas que precisam de ajuda; quase 2,8 milhões de venezuelanos precisam de assistência médica.

Unicef: 1,1 milhão de crianças venezuelanas precisarão de assistência em 2019

Expectativa é de um aumento de mais de 50% em relação a quase meio milhão de crianças que estão nessa situação; agência faz apelo para que países anfitriões e de trânsito protejam os menores deslocados da discriminação e garantam acesso aos serviços essenciais.