Enviado da ONU diz ao Conselho de Segurança que “Gaza está implodindo”
BR

18 outubro 2018

Coordenador especial da ONU para o Oriente Médio defende que região seja devolvida a governo legítimo; em setembro, 33 palestinos, incluindo nove crianças, foram mortos e três soldados de Israel foram feridos.

O coordenador especial da ONU para o Oriente Médio, Nickolay Mladenov, avisou esta quinta-feira ao Conselho de Segurança que “Gaza está implodindo”. O enviado ressaltou que “isto não é uma hipérbole, não é alarmismo, é a realidade.”

Coordenador especial da ONU para o Oriente Médio, Nickolay Mladenov, by ONU/Loey Felipe

Mladenov discursou num debate aberto sobre o Oriente Médio. O diretor-executivo da ONG B’Tselem, Hagai El-Ad, também participou no encontro. El-Ad é um ativista de direitos humanos de Israel.

Gaza

Sobre a situação em Gaza, Mladenov afirmou que “continua perto de outro conflito potencialmente arrasador, um conflito que ninguém assume querer, mas que precisa de muito mais do que palavras para prevenir.”

O coordenador lembrou dados do Banco Mundial, afirmando que a região está com uma taxa de desemprego de 53% e com 70% dos jovens sem trabalho. Neste momento, uma em cada duas pessoas em Gaza vive abaixo do limite da pobreza. 

Mladenov afirmou que “todos os indicadores centrais, humanitários, econômicos, de segurança e políticos, continuam se deteriorando.”

Solução politica  

O coordenador disse que este é um momento central para evitar as divisões na área palestina, com a liderança das negociações a cargo do Egito.

Segundo ele, desde o início do processo, a ONU “defendeu sempre que devem ser feitos todos os esforços para devolver o controlo de Gaza a um governo legítimo.”

Mladenov acredita que, apesar de alguns passos importantes, as negociações começam a falhar devido à pressão. Nos últimos dias, subiram as tensões e já aconteceram confrontos violentos.

Segundo o coordenador, “aliviar a situação humanitária serve para reduzir a ameaça de uma escalada da violência e dar espaço às negociações que pretendem devolver Gaza a um governo legítimo.”

Apesar disso, ele acredita que estes passos são apenas temporários e com o objetivo de evitar uma guerra. Para ele, nunca se deve esquecer que “Gaza continua sendo um problema político.”

Violência

O coordenador especial também fez um balanço dos confrontos e da violência que aconteceu na região desde a última vez que falou ao Conselho de Segurança, no mês passado.

Nas últimas semanas, os protestos junto à cerca de Gaza aumentaram e agora também acontecem durante a noite. O Hamas e outros militantes continuam enviando dispositivos e balões incendiários para causar fogos em Israel. As Forças de Defesa de Israel respondem com métodos de dispersão e tiros.

Mladenov disse que 33 palestinos, incluindo nove crianças, foram mortos pelas Forças de Defesa de Israel. Três soldados israelitas foram feridos.

Protesto

Numa só noite, em  12 de outubro, um protesto reuniu cerca de 20 mil palestinos. Sete pessoas foram mortas e 150 feridas.

Mladenov acredita que a comunidade internacional tem a responsabilidade de restaurar a possibilidade de uma solução de dois Estados para o conflito.

Segundo ele, os Estados-membros devem “facilitar as negociações, ajudar a parte mais fraca, isolar o processo de radicais e extremistas, e mostrar resultados.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud