ONU saúda libertação de 833 crianças de milícia na Nigéria

12 outubro 2018

Grupo armado cumpre parte do compromisso assumido com as Nações Unidas em 2017; Unicef pede apoio de todos os parceiros para reintegração das crianças; até agora foram identificadas perto de 1.500 meninos e meninas nas fileiras do grupo.

A representante especial do secretário-geral da ONU para Crianças e Conflito Armado, Virginia Gamba, congratulou-se pela libertação de 833 crianças pelo Grupo de Trabalho Conjunto Civil, Cjtf.

Virginia Gamba considera que esta libertação “é um desenvolvimento importante para os meninos e as meninas do nordeste da Nigéria cujas vidas foram profundamente afetadas pela violência e insegurança".

Plano de ação

O Cjtf foi formado em 2013, para proteger as comunidades no nordeste da Nigéria e apoiar as forças de segurança na luta contra o grupo terrorista Boko Haram.
O Cjtf foi formado em 2013, para proteger as comunidades no nordeste da Nigéria e apoiar as forças de segurança na luta contra o grupo terrorista Boko Haram.
​​​​​​​Foto: UNICEF/Gilbertson VII Photo

Em comunicado, a representante afirmou que este momento acontece como “resultado de meses de trabalho produtivo e colaboração entre o Cjtf e o Grupo de Trabalho Nacional das Nações Unidas para a Nigéria”, por isso, acredita que mais crianças serão separadas daquela milícia muito em breve.

As autoridades nigerianas comprometeram-se em prestar serviços de reintegração a todas as crianças libertadas, com o apoio do Unicef e de outros parceiros, por isso, a representante considera que esta é “uma oportunidade de ajudar estas crianças a reconstruir as suas vidas.”

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef,  lembra que esta é a primeira libertação formal de crianças feita por este grupo desde setembro de 2017.

A vice-representante da Unicef na Nigéria,  Pernille Ironside, sublinha que esta decisão “mostra o compromisso de implementar as disposições do Plano de Ação e de defender o direito internacional humanitário, as leis de direitos humanos e outras legislações regionais e nacionais, protegendo os direitos das crianças.”

Milícia

O Cjtf foi formado em 2013, para proteger as comunidades no nordeste da Nigéria e para apoiar as forças de segurança do país na luta contra o grupo terrorista Boko Haram.

Em 2016, o Cjtf comprometeu-se a impedir o recrutamento de crianças e concordou em libertar todas as crianças das suas fileiras. As Nações Unidas apoiaram este processo, através de um Plano de Ação, fornecendo sessões de formação e de sensibilização aos membros deste grupo e às comunidades locais.

Segundo o Unicef, até ao momento, 1.469 crianças foram identificadas como fazendo parte do Cjtf.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud