Conflito do Afeganistão matou mais de 2,7 mil civis em nove meses BR

A análise aponta que os números dos danos causados aos civis “continuam extremos”.
Unama/Fraidoon Poya
A análise aponta que os números dos danos causados aos civis “continuam extremos”.

Conflito do Afeganistão matou mais de 2,7 mil civis em nove meses

Paz e segurança

Relatório indica que dispositivos explosivos improvisados continuam a causar mais vítimas no país; grande parte das baixas nas populações é atribuída a elementos antigovernamentais.

O conflito no Afeganistão provocou 8.050 vítimas civis nos primeiros nove meses de 2018, segundo a Missão das Nações Unidas no país, Unama.

De acordo com o documento, a segunda maior causa de mortes no Afeganistão foram combates terrestres

Em relatório, lançado esta quarta-feira, a operação de paz documenta 2.798 mortos e 5.252 feridos. De acordo com o estudo, no período analisado continuaram altos os índices de baixas sofridas pela população afegã, que na maioria foram provocadas por elementos antigovernamentais.

Conflito

A análise aponta que os números dos danos causados aos civis “continuam extremos” em comparação com o mesmo período de 2017.

A principal causa de vítimas no conflito armado continua sendo o uso combinado de dispositivos explosivos improvisados suicidas e não suicidas, por elementos antigovernamentais.

O documento destaca ainda que o uso desses artefactos por suicidas é mais frequente e causou níveis recordes de baixas civis no primeiro trimestre do ano.

Explosivos

A segunda maior causa de mortes foram combates terrestres. Seguem-se  assassinatos direcionados e deliberados, operações aéreas e explosivos remanescentes de guerra.

A grande preocupação levantada no relatório é a ação de forças não governamentais, que realizam um número cada vez maior de ataques contra a população civil, incluindo minorias étnicas e religiosas.