OMS declara fim de surto de ebola na República Democrática do Congo

24 julho 2018

Vírus, surgido em abril, matou 29 pessoas; agência da ONU quer que sucesso deste esforço seja repetido no combate a outras doenças.

Esta terça-feira, 24 de julho, marca o fim do nono surto de ebola na República Democrática do Congo.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, revela que 53 pessoas foram contaminadas com o vírus desde 4 de abril, 29 morreram. Há 42 dias que não surge um novo caso da doença.

Esforço

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, e o diretor-regional para África, Matshidiso Moeti, juntaram-se ao ministro da Saúde congolês, Oly Ilunga, para o anúncio na capital do país, Kinshasa.

Ghebreyesus disse que “o surto foi contido devido aos esforços incansáveis ​​dos grupos locais, apoio dos parceiros, generosidade dos doadores e liderança do Ministério da Saúde”. Segundo ele, “esse tipo de liderança, aliada à forte colaboração entre parceiros, salva vidas”.

Diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, está em Lisboa., by ONU/Daniel Johnson

Ao mesmo tempo, o chefe da OMS pediu que o sucesso desta luta se expanda para o combate a outras doenças. Para ele, "esta resposta deve tornar o governo e os parceiros confiantes de que outros surtos graves que afetam o país, como cólera e pólio, também podem ser enfrentados".

Surto

Ao contrário de surtos anteriores, desta vez o vírus surgiu em quatro locais diferentes, incluindo uma cidade com ligações fluviais para a capital e países vizinhos, e aldeias remotas na floresta.

Horas depois de o surto ter sido declarado em 8 de maio, a OMS disponibilizou US$ 2 milhões do Fundo de Contingência para Emergências, enviou um grupo de especialistas para o terreno e ativou um sistema de emergência.

Em nota, o diretor regional para África afirmou que “a OMS agiu com rapidez e eficiência” e que “demonstrou a tremenda capacidade da região africana”.

Exemplo

Segundo ele, mais de três quartos das 360 pessoas envolvidas na resposta vieram da região. Dezenas de especialistas da Guiné passaram semanas liderando os esforços de vacinação.

Até 30 de junho, pelo menos 3.330 pessoas foram vacinadas pela OMS e pela organização Médicos Sem Fronteiras. Moeti acredita que esse esforço “transferiu conhecimentos especializados que permitirão à RD Congo organizar uma resposta eficaz tanto dentro de suas fronteiras quanto além dela. ”

Esta terça-feira, completam-se 42 dias sem nenhum caso da doença. O período corresponde ao dobro do tempo de incubação do vírus.

Segundo a agência da ONU, durante estas semanas foram identificadas e registradas 1.706 pessoas que tiveram contato com pacientes diagnosticados com ebola.

 

Apresentação: Alexandre Soares

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud