Ataques no Afeganistão matam mais de 20 pessoas incluindo fotógrafo da AFP

30 abril 2018

Agência de notícias divulgou nota informando que um de seus jornalistas estaria entre as vítimas dos atentados que mataram ainda outros profissionais da imprensa; grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, teria reivindicado autoria; pelo menos 30 pessoas ficaram feridas.

A Missão das Nações Unidas no Afeganistão, Unama, condenou dois ataques suicidas que mataram mais de 20 pessoas e deixaram pelo menos 30 feridos, segundo agências de notícias. Os atentados ocorreram na manhã desta segunda-feira, horário local, em Cabul, capital afegã.

Em nota, a Agência France Press informou que quatro jornalistas perderam a vida nos atentados. Uma das vítimas fatais era chefe de fotografia da AFP em Cabul.

Sofrimento

A Unama menciona que os incidentes tiveram um intervalo de meia hora entre si. O último teria sido para “atingir os jornalistas que chegaram ao local e equipes dos serviços de emergência, que procuravam ajudar as vítimas do primeiro ataque”.

Em nota, a operação de paz condena “nos termos mais fortes possíveis” os atos que ocorreram em áreas densamente povoadas, destacando que o sofrimento humano para as famílias afegãs é incalculável”.

O representante especial do secretário-geral para o Afeganistão, Tadamichi Yamamoto, contou que está indignado com o ataque que “parece ter deliberadamente visado jornalistas”.

Para ele, o incidente ocorre às vésperas do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, este 3 de maio, é um “ataque direto à liberdade de expressão”.

Recuperação

Yamamoto disse que não existe justificativa para tais atos. Ele declarou que aqueles que organizaram e permitiram esses ataques “sejam levados à justiça e responsabilizados”.

Segundo agências de notícias,  um terceiro ataque foi realizado na província de Kandahar contra tropas da Organização para o Tratado do Atlântico Norte, Otan.  Este atentado suicida teria matado pelo menos 11 crianças.

Na tarde da segunda-feira, o secretário-geral da ONU demonstrou indignação com os ataques terroristas em Cabul e Kandahar.

Em nota, ele lembrou que as ações causaram um grande número de vítimas fatais e feridos incluindo jornalistas,  pessoal de emergência e alunos de escola. Guterres afirmou que o ataque deliberado a jornalistas expõe os riscos corridos pelos profissionais de imprensa. Ele afirmou que os autores devem ser levados a tribunal rapidamente.

O secretário-geral da ONU também desejou uma pronta recuperação aos feridos.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud