ONU preocupada com aumento de tensões na República Centro-Africana

1 abril 2014

Desde 22 de março foram registadas pelo menos 60 mortes na capital, Bangui; Escritório dos Direitos Humanos quer esclarecer aparente ação de tropas internacionais que provocou 24 mortos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O aumento de tensões na República Centro-Africana está a gerar preocupação de várias entidades das Nações Unidas.

Nesta terça-feira, a organização revelou que pelo menos 60 pessoas morreram nos últimos 10 dias devido à deterioração da situação de segurança em Bangui.

Evacuação

Em declarações a jornalistas, em Genebra, uma porta-voz do Alto Comissariado para Refugiados, Acnur, disse temer pela vida de 19 mil muçulmanos no PK12, um bairro de maioria islâmica na capital centro-africana.

Fatoumata Lejeune-Kaba revelou que os ataques da semana passada aumentaram em cerca de 16 mil os deslocados internos. Como explicou, no seu auge a crise teve perto de 1 milhão de centro-africanos deslocados, com 700 mil em Bangui.

Mas há também receios em relação aos muçulmanos de quatro centros urbanos a leste e mais a norte de Bangui. A agência disse estar pronta para ajudar a evacuação para áreas mais seguras, dentro ou fora do país.

De acordo com o Acnur, mais de 2 mil pessoas morreram no conflito entre os grupos Séléka e anti-Balaka, iniciados em dezembro do ano passado.

Incidente

A preocupação cresce com relatos de alegadas ações de tropas internacionais. O Escritório de Direitos Humanos conta que, no sábado, 24 pessoas morreram e cerca de 100 ficaram feridas numa ação que teria intervenção de soldados do Chade nos arredores do bairro PK12.

A entidade diz que está ainda a esclarecer as circunstâncias exatas do incidente, no qual aparentemente as tropas chadianas teriam disparado indiscriminadamente contra uma multidão depois de um incidente.

Ataque a Granada

A intenção é confirmar o grupo a que tais soldados pertencem. Nesta segunda-feira, a ONU recebeu relatos de que um elemento anti-Balaka teria lançado uma granada contra os soldados do Chade, antes deste ter sido morto pelas tropas francesas.

Com a deterioração da situação de segurança, o Escritório exortou aos países a apoiar o apelo urgente lançado pelo Secretário-Geral com vista ao aumento de forças de paz e policiais no país.

Operação

As Nações Unidas já tinham autorizado o envio de cerca de 12 mil tropas de paz para o país. Neste momento, 6 mil soldados da União Africana estão no terreno, juntamente com uma operação militar francesa composta por 2 mil homens.

Esta semana, Ban Ki-moon também considerou importante estabelecer uma lista de pessoas que atuam no sentido de minar a paz, a estabilidade e a segurança na República Centro-Africana.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud