Dia Internacional da Língua Materna promove o valor da ciência BR

Dia Internacional da Língua Materna promove o valor da ciência

Na sede da Unesco, em Paris, especialistas discutem o papel das línguas locais para a partilha de conhecimento tradicional e indígena; agência da ONU acredita que metade dos 6 mil dialetos existentes vai desaparecer.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

São mais de 6 mil línguas faladas em todo o mundo, mas metade desses dialetos pode desaparecer até o fim deste século. O alerta é da Unesco, a agência da ONU para Educação, Ciência e Cultura.

A importância da preservação dos idiomas ganha destaque esta sexta-feira, Dia Internacional da Língua Materna. A diretora da Unesco, Irina Bokova, lembra que as línguas garantem acesso ao conhecimento cultural e científico.

Colaboração

Por isso, o Dia Internacional da Língua Materna este ano foca na ligação entre a ciência e as línguas locais, como explicou à Rádio ONU, de Paris, a diretora de Ciência da Unesco, Lídia Brito.

“Para a Unesco, a língua é um fator fundamental, não só de disseminação da ciência, mas também um instrumento de colaboração científica. Trazer o papel da língua mãe no desenvolvimento científico dos países, das comunidades, pareceu-nos um tema bastante interessante para 2014. Uma parte deste tema está bastante ligada ao conhecimento tradicional, que é transmitido oralmente através dessas línguas.”

Segundo Lídia Brito, a sede da Unesco em Paris abriga esta sexta-feira vários eventos para comemorar o Dia da Língua Materna. Lá, especialistas discutem o papel das línguas locais para a promoção do conhecimento tradicional e indígena.

A Unesco aproveita a data para ressaltar a importância do ensino da língua-mãe em comunidades bilíngues, em especial nos primeiros anos de aprendizado da criança.