Filipinas devem ter 375 mil nascimentos em áreas afetadas pelo tufão BR

Filipinas devem ter 375 mil nascimentos em áreas afetadas pelo tufão

Unfpa lamenta que primeiro bebê filipino de 2014 esteja na UIT neonatal; agência destaca ser crítico garantir o acesso à saúde reprodutiva durante situações de emergência.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Fundo das Nações Unidas para População, Unfpa, lamenta que o primeiro bebê nascido nas Filipinas em 2014 esteja na UTI neonatal. Segundo a agência, a mãe sofre de hipertensão e passou por uma cesárea. Tanto a mãe quanto o bebê não passam bem.

O primeiro parto do ano nas Filipinas aconteceu em Tacloban, no Centro Médico de Visayas. Segundo o Unfpa, o hospital está bem equipado e com capacidade para responder a emergências do tipo.

Desafios

Logo após o tufão passar pelo país, no começo de novembro, a agência da ONU forneceu ao centro médico o equipamento necessário para garantir nascimentos seguros. O Unfpa destaca que os médicos estão fazendo todo o possível para salvar a vida da mãe e do bebê.

Cerca de 375 mil bebês devem nascer este ano em áreas afetadas pelo tufão Haiyan, segundo cálculo do Unfpa. Para a agência, a situação é um lembrete dos desafios que as mulheres enfrentam diariamente em situações de crise.

O Unfpa destaca ser crítico que o acesso à saúde reprodutiva seja uma prioridade durante emergências, como foi a passagem do tufão. A agência fornece material hospitalar para todos os centros médicos em Tacloban e outras regiões afetadas.

Arroz

Nesta quinta-feira, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, anunciou que já entregou 54% das sementes de arroz necessárias aos agricultores filipinos.

Serão 1,8 mil toneladas de sementes distribuídas nas regiões afetadas pelo tufão, que entre março e abril devem produzir arroz suficiente para alimentar 800 mil pessoas durante um ano.