Migrantes irregulares expulsos da Tanzânia vão receber ajuda da OIM

Migrantes irregulares expulsos da Tanzânia vão receber ajuda da OIM

Ordem presidencial foi emitida para 35 mil civis do Burundi, do Ruanda e do Uganda; Organização Internacional para Migrações planeja fornecer ajuda humanitária de emergência, como transporte e registo.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização Internacional para Migrações, OIM, está a avaliar como fornecer ajuda humanitária a milhares de migrantes irregulares que foram notificados pelo governo da Tanzânia a deixar o país.

A ordem presidencial foi emitida a 25 de julho a 35 mil migrantes do Burundi, do Ruanda e do Uganda. A medida previa a saída deles da Tanzânia até 11 de agosto.

Vulnerabilidade

Segundo a OIM, até o momento, a ordem foi cumprida por mais de 20 mil pessoas. Entre os migrantes que seguem no país, estão grávidas, menores desacompanhados e pessoas com deficiência. Há ainda indivíduos que desconhecem a sua comunidade de origem.

A OIM, em colaboração com parceiros humanitários, planeia tomar a liderança em fornecer a estes migrantes ajuda de emergência. O plano deve incluir transportes, registos, criação ou apoio a centros de transição já existentes perto de fronteiras.

Alimentação e Transporte

Nestes pontos, os migrantes podem conseguir comida e ajuda médica. A OIM está a finalizar um plano para fornecer assistência de transporte nos pontos de entrada dos países até o destino final dos migrantes.

De acordo com o governo do Ruanda, já foram construídos três centros de trânsito perto da fronteira com a Tanzânia, para acomodar os migrantes ruandeses que retornam a casa.

No Burundi, a OIM, agências da ONU e ONGs locais já realizaram uma avaliação conjunta das necessidades nas províncias de Rutana e Muyiga, os principais pontos de entrada para os que regressam da Tanzânia.

A análise mostrou que a maioria chega à fronteira sem água nem comida. Além disso, devido à época de chuvas, os civis correm o risco de contrair cólera, diarreia, malária e doenças respiratórias.

*Apresentação: Denise Costa.