Especialistas defendem medidas de proteção contra radiações na medicina BR

Especialistas defendem medidas de proteção contra radiações na medicina

Aiea diz que cerca de 10 milhões de pessoas recebem diagnóstico, terapêutico ou médico com intervenções que envolvem radiações; evento sobre o tema reúme mais de 600 delegados em Bona.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque

A Agência Internacional de Energia Atômica, Aiea, defendeu novas medidas para proteger pacientes de todo o mundo das radiações na medicina.

De acordo com a agência, diariamente, cerca de 10 milhões de pessoas recebem diagnóstico, tratamento ou intervenções que envolvem radiações.

Exposição 

A medicina é tida como a  que  expõe o maior número de trabalhadores aos efeitos das radiações, se comparada aos demais campos profissionais.

Apesar de se considerar que grande parte dos procedimentos médicos com radiação ionizante é feita de forma segura e justificável, a preocupação surge com aumento dos casos, sem uma razão concreta, sob o ponto de vista médico ou de segurança.

Chamada

Começou nesta segunda-feira, uma conferência internacional em Bonn, na Alemanha, para debater a proteção contra as radiações. O encontro é  copatrocinado pela Organização Mundial da Saúde.

Mais de 600 delegados de 88 países, incluindo representantes de 17 organizações internacionais participam no evento.