Ban Ki-moon aborda impacto do conflito sírio nos montes Golã

Ban Ki-moon aborda impacto do conflito sírio nos montes Golã

Confrontos entre oposição armada e forças de segurança na área de supervisão da Força de Observação das Nações Unidas provocaram resposta israelita; Secretário-Geral pede máxima contenção e lança exortação tanto à Síria como a Israel.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, manifestou preocupação com relatos de confrontos entre a oposição armada e forças de segurança sírias na área de supervisão da Força de Observação das Nações Unidas, Undof, nos montes Golã.

Desde 1974, a região situada entre a Síria e Israel passou a ser monitorizada pela missão de paz da ONU, como parte do acordo de retirada assinado entre os dois países, após a guerra de 1973. O mandato da Undof foi prolongado pelo Conselho de Segurança até 31 de Dezembro deste ano.

Disparos

De acordo com agências noticiosas, fogo de armas ligeiras da Síria e um morteiro teriam atingido o território israelita neste domingo,  tendo provocado um resposta imediata por parte de Telavive.

Apesar de não ter sido reportado nenhum ferimento do pessoal da ONU ou de civis, o Secretário-Geral disse estar profundamente preocupado com o potencial de uma escalada dos confrontos.

Contenção

Na mensagem, Ban pede a máxima contenção e exorta tanto à Síria como a Israel ao respeito o acordo de desocupação e das suas obrigações e à cessação de disparos de qualquer tipo em toda a linha de cessar-fogo.

Estima-se que pelo menos 20 mil pessoas morreram, a maioria civis, como resultado da violência que se seguiu aos protestos contra o presidente sírio, Bashar al-Assad,  iniciada em Março do ano passado.