Entrevista: António Gumende

19 setembro 2012

Em Julho, Moçambique assumiu a presidência rotativa da Cplp em meio a um dos maiores desafios para o bloco: a situação de um golpe militar na Guiné-Bissau e o retrocesso da consolidação democrática na nação do oeste da África.

Às vésperas da realização do debate da Assembleia Geral da ONU, a Cplp está a fazer gestões sobre a situação na Guiné-Bissau.

Sanções 

Segundo o embaixador, pode haver “sanções” ao regime civil-militar instaurado na Guiné após o golpe de 12 de abril.

Ao falar do futuro do bloco, António Gumende mostrou clareza absoluta ao dizer que a presidência moçambicana vai investir em comércio e desenvolvimento.

O novo modelo vai envolver empresários dos oito países mais a cooperação político-diplomática para lever desenvolvimento às nações lusófonas que precisam.

O diplomata tratou ainda de temas como a Sadc e falou da conquista histórica de Moçambique ao comemorar, no próximo dia 4 de Outubro, 20 anos do Acordo de Paz que acabou com a guerra civil no país.

Acompanhe a conversa com Eleutério Guevane, em Nova York.

Tempo Total: 21:54”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud