América Latina deve sofrer leve desaceleração em 2008 BR

América Latina deve sofrer leve desaceleração em 2008

Previsão faz parte de estudo da Cepal sobre a região; economias latino-americanas e caribenhas cresceram 5,6% neste ano.

Mônica Valéria Grayley e Helder Gomes, da Rádio ONU em Nova York.

Um relatório da Comissão Econômica para América Latina e Caribe, Cepal, sugere que em 2008, a região deve sofrer uma leve desaceleração.

Mas segundo o documento “Balanço Preliminar das Economias da América Latina e do Caribe, 2007”, apesar de turbulências no mercado internacional, a região está melhor preparada para enfrentar os desafios.

O relatório afirma que neste ano, o crescimento das economias latino-americanas foi de 5,6%.

O diretor da Cepal em Brasília, Renato Baumann, disse à Rádio ONU, que a previsão de uma leve desaceleração não deve causar preocupação principalmente ao Brasil.

“Como é uma característica de curto prazo, isso não é assustador. O que se alerta é que essa é uma tendência que tem que ser olhada com cuidado. Eu entendo que, no caso da economia brasileira, boa parte dessas importações estão relacionadas com o próprio processo de investimentos, são máquinas, equipamentos e bens intermediários. Mas há uma taxa de crescimento importante também das importações de bens de consumo, sobretudo bens de consumo durável”, disse.

Um dos destaques do relatório sobre o crecimento de quase 6% se deve à diminuição do desemprego.

Mercado Imobiliário

A taxa atual de 8% é semelhante a dos anos 1990. Houve também uma redução significativa da dívida externa de várias economias, e mais investimentos estrangeiros.

O estudo da Cepal menciona também a crise do mercado imobiliário dos Estados Unidos, que gerou uma percepção de um risco maior de desaceleração da economia americana.

Pelo relatório, a União Européia deve registrar uma queda no crescimento de 2,9% em 2007 para 2,5% no próximo ano.