ONU alerta que falta de dinheiro coloca em risco ajuda a refugiados sírios
BR

4 abril 2017

Do apelo de US$ 4,6 bilhões para cobrir as operações de ajuda em 2017 foram recebidos apenas 9%; Acnur e Pnud afirmaram que mais de 5 milhões de refugiados sírios vivem em países vizinhos e muitos seguiram para a Europa.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

Duas agências da ONU alertaram que a falta de dinheiro para cobrir as operações humanitárias coloca em risco a ajuda aos refugiados sírios.

Em comunicado conjunto, a agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur e o Programa para o Desenvolvimento, Pnud, disseram que até o momento a ONU recebeu apenas 9% do apelo de US$ 4,63 bilhões.

3RP

O Plano Regional para Refugiados e Resiliência, chamado de 3RP, para 2017 vai usar os fundos para prestar assistência e proteção a refugiados e aos países que abrigam essas pessoas.

A divulgação do documento coincide com a abertura da Conferência de Bruxelas sobre Apoio ao Futuro da Síria e da Região, esta terça-feira.

Nos mais de seis anos de conflito, existem mais de 5 milhões de refugiados sírios vivendo no Egito, Iraque, Jordânia, Líbano e Turquia. Muitos outros foram para a Europa e outras regiões.

O Acnur e o Pnud afirmaram que “sem fundos adicionais, todas as áreas de ajuda serão reduzidas este ano”. As agências explicaram que a entrega de comida e a assistência financeira vão ser reduzidas ou cortadas até o meio do ano.

Desesperadora

O alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, disse que “a situação é desesperadora”. Ele disse ainda que a agência já está vendo crianças que não têm condições de ir à escola e famílias que não podem mais ter acesso a uma residência adequada ou prover as necessidades básicas.

Grandi agradeceu as doações financeiras feitas até agora, mas afirmou que “a simples verdade é que os fundos não estão acompanhando as necessidades”.

A chefe do Pnud, Helen Clark, declarou que “a história é a mesma por toda a região, os serviços de água e saneamento e os mercados de trabalho e habitação estão todos sob tensão”.

O 3RP reúne mais de 240 parceiros numa resposta humanitária coordenada na região ajudando a mais de 5 milhões de refugiados sírios e 4,4 milhões de pessoas nas comunidades que abrigam essas pessoas nos países vizinhos.

O conflito na Síria é o maior desafio humanitário do mundo, com 13,5 milhões de homens, mulheres e crianças precisando de ajuda urgente.

Notícias relacionadas:

FAO diz que agricultura deve ser retomada imediatamente na Síria

Em visita a refugiados, Guterres diz que é hora de acabar com conflito na Síria

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud