ONU vai destinar US$ 9,5 milhões para conter propagação da cólera no Líbano

OMS alertou para surto mortal de cólera no Líbano à medida que os casos aumentavam
OMS
OMS alertou para surto mortal de cólera no Líbano à medida que os casos aumentavam

ONU vai destinar US$ 9,5 milhões para conter propagação da cólera no Líbano

Ajuda humanitária

Fundos de ajuda humanitária da organização devem atingir 1,5 milhões de pessoas em todo o país; desde a primeira semana de outubro, mais de 3 mil casos suspeitos e confirmados foram relatados no Líbano, incluindo 18 mortes.

Em resposta ao surto de cólera, declarado em 6 de outubro, e que continua se espalhando por todo o Líbano, o coordenador humanitário das Nações Unidas no país anunciou que será destinado US$ 9,5 milhões para evitar a propagação da doença.

Imran Riza disse que o objetivo é atingir mais de 1,5 milhões de pessoas em todo o Líbano, com risco aumentado de exposição à cólera. No grupo estão libaneses, refugiados sírios, refugiados palestinos e migrantes.

Refugiada síria do lado de fora de sua casa em um acampamento informal no Líbano
© UNHCR/Diego Ibarra Sánchez
Refugiada síria do lado de fora de sua casa em um acampamento informal no Líbano

Medidas que serão tomadas

Desde que o primeiro caso foi confirmado, em 4 de outubro de 2022, mais de 3.042 casos suspeitos e confirmados foram relatados em todo o país, incluindo 18 mortes. As crianças correm maior risco da doença mortal, com menores de 14 anos representando mais de 50% dos casos.

O financiamento vem do Fundo Central de Resposta a Emergências das Nações Unidas, Cerf, e do Fundo Humanitário do Líbano, LHF, e apoiará atividades de prevenção e resposta rápida para evitar mortes e impedir a propagação da cólera em áreas de alto risco.

A ONU e parceiros estão apoiando a implementação do plano conjunto de prevenção, preparação e resposta, desenvolvido sob a liderança do Ministério Libanês de Saúde Pública.

O financiamento de Resposta Rápida do Cerf de US$ 5 milhões permitirá apoio complementar por meio de agências da ONU e suas ONGs parceiras. As medidas se concentrarão na melhoria do acesso à água potável, saneamento e higiene em áreas de alto risco de cólera por meio de apoio a sistemas de água e esgoto, cloração de caminhões-tanque domésticos e apoio a unidades de centros de tratamento de cólera.

As atividades também ampliarão a campanha de vacinação contra a cólera e a cobertura dos custos de hospitalização dos indivíduos mais gravemente afetados.

Um distrito comercial em Beirute, Líbano
© Banco Mundial/Dominic Chavez
Um distrito comercial em Beirute, Líbano

Antecedentes

Este é o primeiro surto de cólera no Líbano desde que o último caso foi relatado em 1993, sem transmissão local documentada desde então. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, OMS, o país é a última fase de um surto violento que começou no Afeganistão em junho, e depois se espalhou para o Paquistão, Irã, Iraque e Síria.

Estabelecido pela Assembleia Geral da ONU em 2005, o Cerf permite que as equipes humanitárias prestem assistência para salvar vidas sempre e onde quer que as crises ocorram.

Enquanto o LHF é um fundo comum baseado no país liderado pelo Coordenador Humanitário para o Líbano e administrado pelo Ocha. Desde a sua criação em 2014, o LHF recebeu mais de US$ 146 milhões de doadores para apoiar a prestação de assistência humanitária oportuna e eficaz às pessoas mais vulneráveis ​​no Líbano, independentemente de seu status.