Unicef quer mobilizar US$ 3,5 milhões após tempestade em Moçambique  
BR

27 janeiro 2022

Mulheres e crianças superam o dobro das 45 mil vítimas do temporal; há receios de chuvas com a chegada de nova depressão tropical ou ciclone e o efeito em rios e barragens já saturados.

O Fundo da ONU para a Infância, Unicef, precisa de US$ 3,5 milhões para apoiar a resposta às necessidades imediatas dos afetados pela tempestade tropical Ana em Moçambique.  

A agência apoia a atuação nacional com suprimentos que estavam posicionados antes da passagem do temporal nesta semana. Em nível interno prossegue a busca de fundos.  

Espaço de aprendizagem  

Pessoal humanitário já foi despachado, enquanto se prepara material médico e nutricional para o auxílio. 

Em Moçambique, foram construídas casas resilientes ao clima, depois que suas cidades costeiras foram atingidas pelas tempestades de Idai na Kenneth
ONU Habitat/Veridiana Mathieu
Em Moçambique, foram construídas casas resilientes ao clima, depois que suas cidades costeiras foram atingidas pelas tempestades de Idai na Kenneth

 

Entre as prioridades estão garantir água, artigos de saneamento e kits de higiene, bem como a criação de espaços temporários de aprendizagem para apoiar os afetados pela tempestade no centro e norte. 

Estima-se que mais de 45 mil pessoas, incluindo 23 mil mulheres e crianças, precisem de auxílio humanitário nas províncias de Nampula, Zambézia, Tete, Niassa, Sofala e Manica. 

Saúde  

As fortes inundações danificaram quase 10,5 mil casas, bem como infraestrutura pública como pontes, linhas de energia, escolas, sistemas de água e instalações de saúde.  

 Unicef destaca que os dados atuais podem mudar à medida que as equipes avaliam a situação
Acnur/ Luiz Fernando Godinho
Unicef destaca que os dados atuais podem mudar à medida que as equipes avaliam a situação

 

O Instituto Nacional de Redução e Gestão do Risco de Desastres, Ingd, notificou danos em 12 unidades de saúde e 346 salas de aula.  

Estima-se que 27.383 alunos ficaram sem um local para aprender, uma semana antes do início do novo ano letivo. 

O Unicef destaca que os dados atuais podem mudar à medida que as equipes avaliam a situação no terreno. 

Lembrete  

Em plena estação chuvosa, o Unicef teme que a situação piore rapidamente com a chegada de outra depressão tropical ou ciclone com queda de chuvas em rios e barragens já cheios. 

A representante da agência em Moçambique, Maria Luísa Fornara, declarou que a parceria com o governo moçambicano faz chegar ajuda essencial às crianças e suas famílias nas áreas afetadas. 

Ela reiterou que a última tempestade a atingir o país “é um lembrete contundente de que a crise climática é uma realidade e as crianças são as mais afetadas por eventos climáticos severos relacionados ao clima.” 

Nos próximos dias, várias equipes de emergência começarão a distribuir suprimentos essenciais. 

Segurança 

A criação de espaços temporários visa cobrir a lacuna gerada pelas escolas que sofreram danos. 

A agência usa diferentes meios de comunicação para ampliar mensagens de proteção e prevenção com vista a mitigar o impacto da tempestade. 

Moçambique é o 9º entre 191 países com alta vulnerabilidade a perigos, exposição a riscos e falta de capacidade de enfrentamento.  

O país passou por dois eventos de seca severa e oito tempestades tropicais entre 2016 e 2021. 

Há três anos, os ciclones Idai e Kenneth atingiram o país em um período de seis semanas afetando 2,5 milhões de pessoas.  

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud