Tema do Dia Mundial da Diabetes enfatiza acesso ao tratamento para todos
BR

14 novembro 2021

Cerca de 460 milhões de pessoas vivem com a doença, mas nem todos precisam da insulina para sobreviver; índices aumentam mais rapidamente em países de rendas baixa e média; sem tratamento, diabetes pode levar à cegueira, amputações e até morte.

As Nações Unidas marcam neste 14 de novembro o Dia Mundial da Diabetes. A doença é a maior causa de cegueira, falha renal, ataques cardíacos, derrame e amputações.

De 1980 a 2014, o número de pessoas com diabetes dobrou para 422 milhões chegando a 8,5%  da população mundial. Nos países de rendas baixa e média, a prevalência é mais rápida que em nações desenvolvidas. 

Um oficial de saúde conduz um teste de diabetes na África
OMS África
Um oficial de saúde conduz um teste de diabetes na África

Tabaco

Hoje, o total de pessoas nessas condições é de mais de 460 milhões, mas nem todos precisam da insulina para sobreviver.

A Organização Mundial da Saúde, OMS, lembra que uma dieta saudável, atividades físicas e não utilização de tabaco ajudam a prevenir a diabetes do tipo 2.

A ONU News ouviu o presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, o médico João Fernando Monteiro Ferreira. Ele explicou que muitos não sabem que têm a doença.

“Então nesse dia, seja um multiplicador da mensagem de saúde. Em termos de que você, seus amigos e familiares façam a busca ativa do diagnóstico de diabetes que é muito simples. Por uma dosagem de glicemia no sangue. E mensagens de hábitos de vida saudáveis que levam à prevenção do aparecimento da doença e ao controle da doença. Com uma dieta saudável, atividade física regular e evitando-se obesidade.”

O médico afirma que, no Brasil, pelo menos mais de 7,5% da população é diabética. E boa parte desconhece o próprio status. 

Risco

A doença também pode ser tratada com exames regulares, medicação adequada e outros cuidados. O tema deste ano até 2023 é o acesso ao tratamento da diabetes. Milhões de pessoas no mundo seguem desprovidas de recursos para controlar a doença, mesmo 100 anos após a descoberta da insulina.

A OMS afirma que a insulina é uma oportunidade única de promover mudanças para mais de 460 milhões de pessoas com diabetes. Todos os anos, milhões correm o risco de desenvolver a doença. 

Paciente da Nigéria teve seu pé amputada devido a complicações causadas por diabetes
OMS / Andrew Esiebo / Panos Pictures
Paciente da Nigéria teve seu pé amputada devido a complicações causadas por diabetes

Concentração

Em 2007, a Assembleia Geral aprovou uma resolução determinando 14 de novembro o Dia Mundial da Diabetes. O texto pede aos países que promovam prevenção e cuidados para quem já vive com a doença.

Uma enfermidade crônica, a diabetes ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente, ou quando o corpo não consegue utilizar a substância de forma eficiente. A partir daí, forma-se uma concentração de glicose no sangue conhecida como hiperglicemia.

O tipo 1 de diabetes, antes conhecido é caracterizado pela falta de produção de insulina.

Raghad vive em campo de refugiados na Jordânia e tem diabetes tipo 1.
Foto: WHO/T. Habjouqa
Raghad vive em campo de refugiados na Jordânia e tem diabetes tipo 1.

Gravidez

Já o tipo 2 é causado pela deficiência do corpo de produzir a insulina, o que geralmente resulta de excesso de peso e falta de atividades físicas. Também existe a diabetes na gravidez.

A cada cinco segundos, uma pessoa desenvolve a doença. E a cada 10, um ser humano morre de diabetes. A cada 30 segundos, no mundo, ocorre uma amputação devido à doença.

Somente entre 2000 e 2016, houve um crescimento de 5% em mortes prematuras por diabetes.
Em 2019, a doença era a nona maior causa de morte com 1,5 milhão de óbitos por diabetes.
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud